foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

Juan Mir coloca a Suzuki nas nuvens, ao tornar-se o nono vencedor diferente e o quinto vencedor do ano pela primeira vez.

Mais uma corrida, mais um capítulo escrito nos livros de história do MotoGP ™ de 2020: Joan Mir (Team Suzuki Ecstar) foi o grande vencedor do Grande Prémio da Europa, terminando a especulação de que o piloto espanhol poderia ser campeão sem vencer uma corrida graças à sua consistência ao longo da época.

Antes do início do GP eram seis os candidatos ao trono, mas no final o piloto da Suzuki, venceu em toda a linha, tem agora  uma vantagem de 37 pontos tendo já na próxima semana o seu primeiro match point.

Mir foi também o nono vencedor diferente da categoria rainha do ano, vendo 2020 igualar o recorde de vencedores numa temporada, e o número 36 estabelece um novo recorde coma sua primeira vitória, ao ser o quinto piloto vencedor.

A fábrica de Hamamatsu conseguiu finalmente repetir o feito de 1982 ao ocupar os 2 principais lugares do pódio com Alex Rins (Team Suzuki Ecstar), o vencedor da corrida anterior a terminar no segundo lugar.

A Suzuki  lidera agora os  campeonatos de pilotos, construtores e equipas.

Pol Espargaro (Red Bull KTM Factory Racing) vencedor da pole-position ainda não foi desta que conseguiu a sua primeira vitória no MotoGP conquistou a terceira posição, regressando lugar do seu primeiro pódio e da KTM em 2018.

O arranque foi perfeito para Rins e Pol Espargaro que partiram da primeira linha tendo o piloto da KTM feito o holeshot. Mir também saiu bem da quinta posição ganhando um lugar ficando logo atrás de Takaaki Nakagami (LCR Honda Idemitsu).  Mas os olhares rapidamente se voltaram para a Curva 8 e para um dos pretendentes ao titulo  Fabio Quartararo (Petronas Yamaha SRT) que caiu sozinho reagindo à queda de  Aleix Espargaro (Aprilia Racing Team Gresini) que seguia à sua frente. Não houve contacto entre os dois pilotos, apenas uma reação intempestiva que levou o francês a dizer adeus ao título este ano. Felizmente Quartararo foi capaz de regressar à corrida mas El Diablo juntou-se a Maverick Viñales (Monster Energy Yamaha MotoGP), que tinha partido das boxes devido a uma penalização imposta à Yamaha por irregularidades no motor.

Pol Espargaro liderou durante a  primeira volta e meia, pois Rins atacou na Curva 11, passando a  Suzuki a assumir a liderança, com  Mir poucas voltas depois a ultrapassar Nakagami e um copy past da ultrapassagem do seu colega de equipa à  KTM  de Pol. A casa de  Hamamatsu começou a dominar a corrida a seu belo prazer .

Miguel Oliveira (Red Bull KTM Tech 3) também ultrapassou Nakagami sendo as duas motos da casa de Mattighofen quem perseguiam as Suzukis. Emoção e pontos de interesse é coisa que não falta nas corridas de MotoGP ™, pouco depois vimos Valentino Rossi (Monster Energy Yamaha MotoGP) parado na pista na Curva 5. Infelizmente depois da recuperação do Docttore do Covid-19 a sua Yamaha aguentou apenas 5 voltas.

Cal Crutchlow (LCR Honda Castrol) voltou  cair, subindo Viñales para 15º seguido de Quartararo à beira dos pontos.  A 11 voltas do final da corrida, na curva 11, Rins, falha uma mudança de caixa, deixando a porta aberta para Mir que não precisou de um segundo convite, assumiu a liderança da corrida, começou a atacar e fazendo inclusive a volta mais rápida a 7 voltas do final, nesta altura a sua vantagem era já maior que meio segundo. Duas voltas depois, a vantagem encontrava-se em mais do que um segundo e nada iria impedir finalmente Mir de conseguir a sua primeira vitória.

Classificação corrida MotoGP™  Classificação corrida Moto2™  Classificação corrida Moto3™

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui