foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

O italiano conquista o título da classe rainha tornando-se o primeiro piloto da Ducati a conquistar o título passados 15 anos.

Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team) é o Campeão do Mundo de MotoGP™ 2022! A incrível reviravolta na classificação geral ficou completa, com o italiano a terminar dentro dos dez primeiros em Valência o suficiente para garantir o título, depois de recuperar de um déficit de 91 pontos antes das férias de verão. Bagnaia é o primeiro piloto da Ducati  desde Casey Stoner em 2007 a conquistar o título, o primeiro italiano a conseguir o feito desde Valentino Rossi em 2009 e o primeiro italiano numa moto italiana desde Giacomo Agostini em 1972.

Nascido em Turim, Bagnaia desfrutou do sucesso nas MiniMoto antes de se tornar internacional com máquinas maiores no então CEV em 2011 em um 125,  antes de subir para o Campeonato Mundial de Moto3 ™ em 2013. Ingressou na VR46 Riders Academy  depois transferiu-se para a SKY VR46 para 2014. Na Mahindra da Aspar em 2015, era o piloto de ponta da equipa mas só confirmou o estatuto em 2016, quando conquistou a sua primeira vitória e depois a segunda. A primeira foi em Assen e a segunda em Sepang, valendo-lhe um mimo especial da equipa: a oportunidade de experimentar a moto de MotoGP™ no teste pós-temporada de Valência.

Bagnaia subiu para a classe intermediária de Moto2™ em 2017 com a  Sky Racing Team VR46 e foi o Rookie do Ano, conquistando vários pódios. Em 2018, começou a correr como candidato ao título desde o início do campeonato, com várias vitórias incríveis conquistando o título na Malásia. O passo seguinte, claro o MotoGP™.

Apesar de mostrar uma impressionante velocidade nas primeiras corridas na categoria, foi um ano difícil para Bagnaia na Pramac Racing. Ainda assim, um fantástico quarto lugar em Phillip Island mostrou muitos sinais positivos. O ano de 2020 foi um ano misto para o italiano, mas ainda assim conquistou um segundo lugar no GP de San Marino e, uma semana depois, na mesma pista, esteve perto da sua uma vitória na categoria rainha mas uma dolorosa queda acabou com as suas esperanças e não voltou a correr naquele ano.

Em 2021 passou para a equipa de fábrica e o início de um capítulo totalmente novo. Três pódios e uma pole nas quatro primeiras provas sinalizaram o italiano como candidato ao título, onde foi o piloto que mais resistiu  ao campeão Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha MotoGP™). Venceu pela primeira vez no MotoGP™ de Aragon depois de um incrível luta direta com Marc Márquez, conseguiu uma semana depois outra vitória desta vez em Misano e terminou a temporada com uma vitória em Valência.

O ano de 2022, não começou da melhor maneira. Uma queda no Qatar, uma corrida difícil em Lombok, dois quintos e um oitavo marcam um inesperado início de temporada, mas Jerez viu o #63 de regresso ao topo depois de uma  longa luta com Quartararo. Veio outra queda, em Le Mans, e depois outra vitória em Mugello, com o italiano a ganhar em casa. Mas na montanha-russa das classificações, caiu de novo, com a má sorte e zero pontos em Barcelona,  o mesmo sucedeu em Sachsenring. Bagnaia estava a 91 pontos do líder Quartararo, mas conseguiu depois superar o maior déficit de pontos até o momento.

A melhor maneira de recuperar é começar a vencer, e Bagnaia fez exatamente isso ao conquistar quatro vitórias consecutivas em Assen, Silverstone, Áustria e Misano. Em Aragão, ficou em segundo lugar um ano depois da sua primeira vitória nesse circuito, perdendo para o seu novo colega de equipe de 2023 Enea Bastianini.  Mas a montanha-russa continuou em movimento mais uma vez em Motegi, quando Bagnaia caiu na última volta, atrás do principal rival Quartararo, perdendo algum do terreno conquistado desde as férias de verão.

A Tailândia significou um grande desafio para Bagnaia, com o dia da corrida chuvoso  muitos flashbacks de Lombok, onde Quartararo conquistou um pódio e Bagnaia apenas um ponto, mas a sorte mudou em Buriram, com Pecco no pódio e El Diablo a não conseguir pontuar. Veio a Austrália e o acidente de Quartararo levando Bagnaia ao o seu primeiro match point na corrida seguinte em Sepang.

Outro confronto  Bagnaia vs Bastianini. Durante toda a corrida, os dois lutaram de igual para igual, com todos os olhos voltados para a dupla que dividirá a box de fábrica na próxima temporada. Mas desta vez foi o número #63 que manteve os nervos sob controle, conquistando sua sétima vitória da temporada, abrindo uma vantagem de 23 pontos, sobre Quartararo que ainda assim conquistou um pódio.

O #TheDecider chegou. Dois pilotos, 23 pontos e o título. Um fim de semana cheio de nervos para Bagnaia, mas quando as luzes se apagaram, fez uma corrida tranquila. Quartararo tentou para chegar à frente, mas à medida que a corrida prosseguia o resultado parecia definido, Quartararo tinha que vencer para revalidar o título, e  Bagnaia, depois de perder uma asa da sua Ducati depois de um toque com o francês, manteve a calma, terminou a corrida na P9 o suficiente para se sagrar  Campeão do Mundo de MotoGP ™ de 2022.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui