foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

Um conto de fadas  no deserto, com a Ducati de Gresini a vencer na estreia,  à frente da KTM e da Honda, num grande inicio de temporada.

A história estava para ser escrita logo no primeiro Grande Prémio da temporada, com Enea Bastianini (Gresini Racing MotoGP™) a reivindicar uma vitória emocionante sob as luzes de Losail, que dedicou ao falecido Fausto Gresini. Brad Binder (Red Bull KTM Factory Racing) fez uma excelente corrida ao conseguir a  P2 numa pista tradicionalmente difícil para a KTM com o sul-africano a acabar a apenas 0,3s de uma  vitória. Pol Espargaró (Repsol Honda Team), depois de liderar grande parte da corrida, completou o pódio na noite de abertura, conquistando o segundo pódio com a Honda.

Quando as luzes se apagaram, o pole position Jorge Martin (Pramac Racing) teve uma horrível partida, Marc Márquez (Repsol Honda Team) fez o holeshot e o seu companheiro de equipa Pol Espargaró passou pouco depois para a liderança da corrida. Brad Binder fez um ótimo arranque e conseguiu chegar à P3 logo no início, com Bastianini em quarto. O Campeão do  Mundo Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha MotoGP™) estava em luta com Martin  para a P8, com  Campeão do Mundo de 2020 Joan Mir (Team Suzuki Ecstar) no encalço. Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team) e o seu companheiro de equipa, Jack Miller  contrariando as espetativas não saíram bem, ficando ambos estavam fora dos dez primeiros.

Com quatro voltas decorridas, os pilotos da frente eram  Pol Espargaró à frente de  Marc Márquez, Brad Binder, Mir, Bastianini, Aleix Espargaró (Aprilia Racing) e Martin. Alex Rins (Team Suzuki Ecstar) passou Quartararo na reta da meta e ocupou a  P8. Pecco seguia na P10,  atrás de Quartararo, assim os 10 primeiros seguiam todos atrás com o  consumo de pneus em mente.

Depois de entrar demasiado tarde  na volta 2 na curva 1, Marc Marquez abriu novamente na volta 6 e permitiu que Brad Binder chegasse ao segundo lugar. Na volta seguinte, o oito vezes Campeão do Mundo também perdeu posição para Bastianini na primeira curva, com Aleix Espargaró e Mir ocupando as P5 e P6 respetivamente. Miller então entrou no pitlane no final da volta 7 e retirou-se da corrida, devido a um problema técnico.

Entretanto, na frente a corrida acalmou um pouco o ritmo com a diferença para os da frente a aumentar. Procurando recuperar posições, Bagnaia entrou por dentro na curva 1 da volta 12 procurando ultrapassar Martin, que no dia anterior tinha feito a pole-position, o italiano perdeu a frente, e a dupla da Ducati ficou fora da corrida, numa corrida difícil para a fábrica de Borgo Panigale com Miller, Pecco, Martin e Marco Bezzecchi (Mooney VR46 Racing Team), de fora no GP do Qatar.

Quando faltavam duas voltas para o final,  Bastianini tinha uma vantagem de 1,2s para  Binder, com Pol Espargaró a  0,7s da KTM e Aleix Espargaró ameaçava o irmão mais novo na luta pelo último lugar do pódio – Pol com pneu macio atrás enquanto Aleix usava um médio.

Na última volta. Bastianini perdeu mais um décimo para Binder na penúltima volta, e a diferença era de 1,1s e caiu ainda para  apenas 0,6s no setor final, mas Bastianini aguentou. O italiano acelerou a sua GP21 na última curva e obteve uma vitória incrível e emocionante sob as luzes do Qatar, uma homenagem perfeita ao grande Fausto Gresini e a sua primeira e histórica vitória na categoria rainha.

Fabio Di Giannantonio (Gresini Racing MotoGP™) , Raul Fernandez (Tech3 KTM Factory Racing) não pontuaram nesta primeira prova, assim com  Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory Racing) que efetuou um péssimo  arranque o que lhe condicionou toda a corrida,  caiu na curva 1 assim como  Alex Marquez (LCR Honda Castrol) caíram separadamente e felizmente ilesos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui