foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

No final de uma sexta-feira molhada e com algum vento no Grande Prémio Tissot de Portugal, a dupla da Repsol Honda faz 1-2, com o oito vezes Campeão do Mundo Marc Márquez (Honda Repsol) com o melhor tempo, seguido de perto pelo companheiro de equipa Pol Espargaró(Honda Repsol). Em terceiro, mas a algumas décimos atrás, ficou o Campeão do Mundo de MotoGP™ de 2020 Joan Mir (Team Suzuki Ecstar), já conhecido no pódio em Portimão. Ambas as sessões da classe rainha foram à chuva, que não deu tréguas durante todo o dia no Algarve.

Márquez enviou um sério aviso aos seus rivais na luta pelo título, fazendo o melhor tempo, apesar das condições difíceis, e de ser só ter corrido em Portimão uma vez. O espanhol é considerado um mestre no molhado e demostrou isso na primeira vez que saiu para a pista fim de semana, colocando Mir  que ocupou a P2 a mais de três décimos.

Quem chamou também a atenção pelo seu desempenho durante a  manhã, foi o Rookie  , Marco Bezzecchi (Mooney VR46) , que fez 1:51.136 para ficar em terceiro. Johann Zarco (Pramac Racing), ficou em quarto, com o herói Português Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory Racing) na P5.

Através de Maverick Viñales, da Aprilia, foram cinco as fábricas que se colocaram nas seis primeiras posições, sendo que havia cinco Ducatis entre os dez primeiros graças ao esforço de Jorge Martin (Pramac Racing), e da dupla Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team) e Jack Miller (Ducati Lenovo Team) que ficou em sétimo, oitavo e nono, respectivamente, este último apesar de uma queda na curva 8. Completando os dez primeiros foi Alex Marquez, da LCR Honda Castrol, com pouco menos de um segundo cobrindo o número 93 ao número 73.

As condições deterioraram-se durante a tarde, o que significa que apenas três pilotos conseguiram melhorar FP2 – um deles foi Pol Espargaró, no entanto, com o #44 a fazer uma volta a apenas 0,041s do esforço matinal do seu companheiro de equipa. Disse Márquez foi o segundo da tarde quando a dupla Repsol Honda mudou de ordem, mas o número 93 estava seis décimos de atraso.

Os outros dois pilotos a melhorar do FP1 foram a dupla Yamaha de Andrea Dovizioso (WithU Yamaha RNF) e Franco Morbidelli (Monster Energy Yamaha MotoGP). O ganho de meio segundo de Dovizioso fez com que ele passasse de 22º para 14º e, como resultado, levasse a honra de top Yamaha em um dia difícil para a marca azul. Morbidelli encontrou um décimo para saltar um lugar para 18º.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui