- Pub -
foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

Maverick Viñales (Aprilia Racing) é o vencedor do Tissot Sprint! Um impressionante confronto no Algarve viu o piloto da Aprilia a mostrar os cotovelos e a segurar Marc Marquez (Gresini Racing MotoGP™) e Jorge Martin (Prima Pramac Racing), que tiveram a sua própria batalha até à última volta. Isso culminou com uma clássica, brutal mas limpa investida do #93 para passar para segundo e conseguir o seu melhor resultado no Sprint, com Martin relegado para terceiro.

Na classificação está mais renhido do que nunca, com Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team) a liderar durante grande parte do Sprint antes de se desviar na Curva 1 e conseguir manter-se na luta – mas sem ir além do quarto lugar.

Quando as luzes se apagaram, Jack Miller (Red Bull KTM Factory Racing) teve um início de corrida brilhante, agarrando o holeshot e começando a afastar-se logo na primeira volta. O polaco Enea Bastianini (Ducati Lenovo Team) foi engolido pelo grupo da frente, com o italiano a ser despromovido para P5 na sequência de um problema com o seu dispositivo de altura de condução. Entretanto, Marc Marquez foi um dos que encontrou uma forma de passar para o número 23, saltando para o terceiro lugar depois de passar também Viñales.

No entanto, Bagnaia estava em marcha. Ele chegou à frente da corrida cedo, tentando construir uma distância confortável e rapidamente. Na perseguição, Marc Marquez rapidamente encontrou o seu caminho para passar Viñales, e manteve-o durante algumas voltas. Mas ele não estava a fazer progressos, e acabou por perder a frente na complicada Curva 5, quando a tarefa voltou a aumentar.

Bagnaia parecia estar na frente, a mais de um segundo de Viñales, com Martin e Marc Marquez também não muito longe da Aprilia. Mas, de repente, a máquina nº 1 saiu da Curva 1, mantendo-se firme, mas vendo o grupo da frente passar à sua frente enquanto regressava à frente de Miller.

E assim Viñales liderou o Sprint, com uma companhia cada vez mais próxima. Mas quando faltavam pouco mais de dois quilómetros para o final, Martin ficou afastado e isso deu algum espaço para a Aprilia respirar. O dele, entretanto, estava a ser preenchido por um iminente #93.

Na última volta, Viñales parecia ter tudo sob controlo, e Martin vs Marquez ia decidir o segundo e terceiro lugares no pódio, salvo algum drama no final. E não houve nenhum – mas houve uma espetacular, no limite, uma velha manobra de um mestre da arte.

Na Curva 5, não havia realmente uma porta aberta e ele não estava a uma distância perfeita, mas Marc Marquez foi em frente… e conseguiu. Brutal, renhido e limpo o suficiente para merecer um aperto de mão em parc ferme, o oito vezes Campeão do Mundo obteve o seu melhor resultado no Sprint, segurando Martin até à linha de meta também numa drag race.

Depois de reentrar à frente de Miller, Bagnaia conseguiu aguentar a KTM até à bandeira, mas esteve perto – e Bastianini esteve ainda mais perto, com o trio a ficar em P4, P5 e P6.

O rookie Pedro Acosta (Red Bull GASGAS Tech3) também não esteve longe desta batalha até à bandeira. Conseguiu a P7 e o seu melhor resultado de sempre no Sprint, com Aleix Espargaro (Aprilia Racing) a conseguir recuperar algumas posições depois de uma qualificação difícil. Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha MotoGP™) conquistou o último ponto no Sprint.

Brad Binder (Red Bull KTM Factory Racing) foi um dos que se despistou, saiu mais cedo mas o piloto está bem.

E assim, depois de um espetáculo de sábado, um novo vencedor do Sprint vai para domingo com mais um ponto para provar – e a partir da primeira linha. Viñales pode tornar-se o primeiro a vencer com três máquinas na era do MotoGP™ no domingo… ou pode haver outra reviravolta na história. Com a corrida pelo título reduzida a apenas dois pontos, não vai querer perder o GP de Portugal no domingo, com as luzes a apagarem-se às 14:00 h.

- Pub -

Deixe o seu comentário