Depois de ter garantido a décima pole position da época no sábado, o líder do Campeonato do Mundo Marc Márquez viu-se batido por Jorge Lorenzo na partida, mas nunca baixou os braços e manteve sempre grande pressão e ao cabo de 14 voltas assumiu a liderança pela primeira vez

1º Marc Márquez (Repsol Honda): “Não esperava um Jorge como o que tivemos hoje,” começou por reconhecer o piloto da Repsol Honda. “Ele esteve muito forte, o ritmo foi muito elevado desde o início. Apresentei o mesmo ritmo de antes, mas ele puxou muito no início. Tentei poupar os pneus, mas não foi fácil porque não queria que ele se isolasse na frente. Na segunda parte da corrida vi que o meu ritmo era ligeiramente melhor, mas não muito. Tentei passar o Jorge a sete, ou seis voltas do final, mas depois cometi o erro e comecei a pensar no ano passado e decidi tentar abrir pequena margem porque as últimas voltas foram complicadas. No final foi suficiente. Uma grande batalha, muito renhida, mas é bom voltar às vitórias,”

Partindo da terceira posição da grelha saltou de imediato para a liderança da prova, impôs um ritmo muito forte desde os primeiros momentos para tentar isolar-se

2ºJorge Lorenzo (Movistar Yamaha MotoGP): “Tendo em conta a forma tudo o que se passou no fim‑de‑semana, a corrida foi muito melhor que o esperado. Fiz uma boa partida e puxei a 100%; rodei muito bem e estou orgulhoso da minha condução. A única coisa é que as afinações  que tínhamos aqui não eram muito boas, isto apesar das melhorias que conseguimos aos poucos. Não conseguimos ter o mesmo ritmo confortável do Marc; ele puxou muito, talvez tenha mesmo sido capaz de relaxar um pouco mais que eu. Perdi muito quando ele me tocou perto do final; tentei voltar a apanhá-lo, mas já estava a lutar com a minha condição física porque tinha puxado muito no início e a traseira também já estava a patinar muito. Seja como for, terminar a corrida em segundo e a sete décimos da frente quando na sexta-feira estávamos a perder 1,3s por volta é muito melhor do que esperávamos.”lorenzo

Vindo do final da segunda linha da grelha, Rossi de imediato se colocou no grupo da frente para lutar pelas melhores posições.

3º Valentino Rossi (Movistar Yamaha MotoGP): “Estou contente com o pódio, o primeiro aqui em Silverstone, uma pista que normalmente é complicada para mim,” adiantou o transalpino. “Também estou contente com o ritmo no início. O Jorge estava a puxar muito forte e os tempos por volta eram muito rápidos e consegui acompanhar nas primeiras voltas, mas infelizmente já tinha um pequeno atraso porque estava atrás do Dovi. Depois, ao tentar apanhá-los desgastei muito o pneu traseiro e a moto começou a patinar muito, o que me obrigou a baixar o ritmo. A partir dessa altura comecei uma luta muito dura com o Dani e também com o Dovi que durou até ao final. Foi mais um pódio, o que é bom, mas temos de tentar dar mais um passo em frente.”

Vencedor em Brno e o único piloto até ao momento a bater Marc Márquez, Silverstone continua a ser um dos apenas quatro circuitos do presente calendário onde Pedrosa ainda não venceu um Grande Prémio. Os outros são Losail, Austin e Argentina.

4º Dani Pedrosa (Repsol Honda): “A corrida não foi fácil. Fiz uma má partida e nas primeiras voltas perdi um pouco de terreno para os da frente, mas para ser franco depois também não tive o mesmo ritmo que os líderes. Contudo, lutámos com o Valentino e com o Andrea e no final ganhámos uma posição na última volta. Não foi o nosso melhor fim‑de‑semana, mas campos tentar voltar a estar na frente no próximo Grande Prémio.”dovi-dani

Vindo da primeira linha depois de ter assinado o segundo melhor tempo da qualificação, Andrea cruzou a meta em terceiro no final da primeira volta

 5º Andrea Dovizioso (Ducati Team): “Hoje podemos dizer que o quinto lugar até foi uma pequena desilusão. Lutei pelo pódio toda a corrida com o Valentino e com o Dani, mas fui mais lento que eles em três ou quatro curvas; perdi muita aderência e não consegui usar a estratégia que queria. Conseguir manter-me com eles até ao final é, contudo, motivo de grande satisfação. Trabalhámos bem todo o fim‑de‑semana e o resultado confirma as melhorias que estamos a fazer. Terminar a corrida a menos de dez segundos dos líderes foi quase um sonho tornado realidade, além disso estivemos sempre na luta e com possibilidades de terminar no pódio.”

Começou em oitavo da grelha de partida e terminou a primeira volta em nono, mas o  forte ritmo apresentado levou-o a aproximar-se do grupo que ia à sua frente e a  terminar a corrida em sexto

6º Pol Espargaró (Monster Yamaha Tech 3): “No geral, tenho de estar contente com o sexto lugar de hoje porque o início da corrida não foi fácil. Levei algum tempo a encontrar o meu ritmo porque jogámos um pouco com a opção do pneu frontal mais duro que não testámos durante todo o fim‑de‑semana e perdi um pouco de tempos depois da partida. Felizmente, o passar da corrida permitiu-me recuperar e consegui passar os pilotos que estavam à minha frente. Ainda assim, não é onde queríamos estar em termos de diferença para os primeiros, que é muito grande, mas vamos continuar a trabalhar para estarmos mais fortes em Itália, na próxima jornada do Campeonato.”

O Piloto germânico sofreu duas quedas no sábado e só se conseguiu qualificar na última posição da terceira linha da grelha. Sentiu dificuldades nas primeiras voltas da corrida devido a falta de aderência.

7º Stefan Bradl (LCR Honda MotoGP): “No geral não é um mau resultado para nós. Fiz boa partida da terceira linha, mas no início da corrida cometi um grande erro e caí para 13º. Depois disse dei o meu máximo para recuperar, tentando aproximar-me dos que estavam à minha frente. Consegui apanhá-los, mas de repente o Bradley Smith teve um problema técnico e fiquei preso atrás dele. Tive uma vez mais de recuperar o meu ritmo, mas nas últimas voltas passei o (Andrea) Iannone e o (Álvaro) Bautista e consegui terminar em sétimo. Na primeira parte da corrida faltou-nos alguma aderência traseira, pelo que vamos trabalhar nesse ponto em Misano.”Marc silverst

 

O Circuito de Gales irá receber o Grande Prémio de Inglaterra de Motociclismo até 2024 na sequência da assinatura de um contrato com os detentores dos direitos comerciais do Campeonato do mundo com estreia marcada para 2016

O traçado de Leicestershire mais conhecido por  Donington Park foi o traçado escolhido para o Grande Prémio de Inglaterra de Motociclismo de 2015.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.