foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVE

Marc Marquez (Repsol Honda Team) conquistou  o seu sétimo título Mundial no circuito da Honda depois de conquistar uma impressionante vitória no Motul Grande Prémio do Japão, depois de uma longa batalha com Andrea Dovizioso (Ducati Team) que caiu na curva 10 a duas voltas para do final, entregando o título para o número #93 quando ainda faltam 3corridas para o termino do campeonato.

Dovizioso conseguiu um arranque perfeito depois de ter alcançado a pole-position , à frente de  Johann Zarco (Monster Yamaha Tech 3) e Jack Miller (Alma Pramac Racing) que sensasionalmente ocupavam a 1  linha da grelha de partida.

Marc Marquez que arrancou da  sexta posição, optou por fazer a linha interior da 1ª curva e passou para a 3ª posição,  pouco depois  ultrapassou  Miller na curva 9 e chegou à  2ª posição  anulando a vantagem da vantagem da polé-position de  Dovi que desapareceu em apenas  meia volta.

Cal Crutchlow (LCR Honda CASTROL ) ultrapassou Miller e alcançou a 3ª posição) entretanto   Valentino Rossi (Movistar Yamaha MotoGP) que partiu de nono,  chegou  ao quarto lugar .

Os três da frente marcavam um ritmo forte com  Dovizioso a bater o recorde da pista  1: 45.7 na 6ª volta, Crutchlow e Marquez mantinham  o italiano em quarto, até que  Rossi perdeu numa volta  mais de oito décimos de segundo. O trio da frente  começou a afastar-se do nove vezes campeão do mundo pouco a pouco, que por sua vez tinha os dois pilotos da equipa Suzuki Ecstar junto aos seus  escapes.

Quando faltavam 11 voltas para o final, as duas máq

uinas da fábrica de Hamamatsu ultrapassaram Rossi e aproximaram-se  dos três da frente, com Alex Rins em quinto a fazer uma volta quase um segundo mais rápido que o líder da corrida, Dovizioso.  Marquez fez sua primeira tentativa de chegar à liderança na volta 14 no curva  9, mas à saída da curva 10 abriu demasiado a trajetória, permitindo a Dovizioso voltar à liderança na curva 11.  As  Suzukis lutavam entre si , quando  Andrea Iannone, cai na curva 10.

A oito voltas do final,  Dovizioso e Marquez marcam nos cronómetros  1: 45s enquanto Crutchlow – faz  1:46 baixo, rapidamente ganham  0,5 segundos de diferença para o  piloto da LCR.  Uma volta depois, Crutchlow foi dois décimos mais lento, que os dois da frente com   Rins aproximar-se perigosamente. A intenção de Dovi era clara: fazia a  volta mais rápida da corrida, e mantinha o aclarador  nos limites….

Surge pouco depois o  grande momento que decide o título de 2018,  Dovi perde  a frente da sua Ducati GP18 na curva 10 a apenas duas voltas do final da corrida e , deixa  Marquez na liderança com  Crutchlow e Rins muito atrás.  O número 93, consegue assim o seu sétimo  título mundial na casa da Honda, e a oitava vitória da temporada.

Crutchlow aguenta  Rins e acaba na  P2, com Rins a menos de dois décimos de distância do piloto britânico e a garantir um espetacular pódio para a Suzuki.   Rossi com a sua Yamaha  YZR-M1 consegue a segunda P4 consecutiva, com Alvaro Bautista (Equipe Angel Nieto) na  P5 depois de uma forte segunda metade da corrida –  igualou  o melhor resultado da época –  Zarco que partiu deo 2ª posto da grelha,  não conseguiu recuperar de um difícil começo de corrida  e  terminou na  P6, com o piloto da Yamaha Maverick Viñales (Movistar Yamaha MotoGP) em sétimo.

Dani Pedrosa (Repsol Honda Team) cruzou a meta oitavo na sua última visita ao Japão, o ‘Little Samurai’ terminou com cinco segundos de diferença para o nono Danilo Petrucci (Alma Pramac Racing) – o italiano está a perder preciosos pontos  para Crutchlow e Zarco no Independent Team Championship.

A  Batalha dos rookies  foi vencida pelo o malaio Hafizh Syahrin (Monster Yamaha Tech 3) no décimo lugar que bateu o ítalo-brasileiro que fala perfeitamente português  Franco Morbidelli (EG 0,0 Marc VDS) por menos de um segundo.

Bradley Smith (Red Bull KTM Factory Racing) e o companheiro de equipa Pol Espargaró cruzaram a meta na  P12 e P13, com Katsuyuki Nakasuga (Yamaha Yamaha Factory Racing) e Takaaki Nakagami (LCR Honda Idemitsu) a conquistarem os últimos pontos disponíveis  P14 e P15 respectivamente.

Miller caiu no meio da corrida, e Karel Abraham (Angel Nieto Team) também caiu, ambos os pilotos sem gravidade. Aleix Espargaró (Aprilia Racing Team Gresini) retirou-se nas primeiras voltas da corrida.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.