foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team) regressou à luta pelo título de MotoGP ™ com uma vitória sem contestação na Catedral do Motociclismo. O líder do Campeonato do  Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha MotoGP™) caiu depois de bater em Aleix Espargaró (Aprilia Racing), logo no início da corrida, com o incidente a  levar Espargaro para a  P15 e a terminar no final de uma corrida para história numa inacreditável  quarta posição. Quartararo completamente desesperado, regressou às boxes e posteriormente à pista caindo novamente perto do final da corrida.  Assim, piloto francês fez zero pontos em Assen e uma penalização de volta longa para o Monster Energy Grande Prémio da Grã-Bretanha depois daqui a 5 semanas.

Entretanto, Marco Bezzecchi (Mooney VR46 Racing Team) surpreendeu ao acompanhar Bagnaia durante grande parte do Grande Prémio e a conquistar o seu primeiro pódio na categoria rainha, com Maverick Viñales (Aprilia Racing) a partir da grelha na P11 e a terminar em terceiro, a seu primeiro pódio com a Aprilia. Aleix Espargaro fez a P4 depois de fazer dois em um ao ultrapassar na chicane que antecede a reta da meta Brad Binder (Red Bull KTM Factory Racing) e Jack Miller (Ducati Lenovo Team).

Rebobinando a corrida,  Bagnaia partiu muito bem e liderou o pelotão na primeira curva, enquanto Quartararo desceu para a quarta posição, mas rapidamente ultrapassou Jorge Martin (Prima Pramac Racing) e  por dentro de Espargaró em De Strubben, mas não conseguiu manter o RS-GP atrás dele quando eles correram pela reta final.

Bagnaia já tinha uma vantagem de 0,7 no final da primeira volta, quando Bezzecchi ultrapassou Miller que rodava na P5, com o rookie a passar para quarto quando depois de ultrapassar Martin no início da volta 3. Miller desceu de sexto para 10º na volta 4 depois de cumprir a penalização de volta longa por pilotagem irresponsável na Q2, quando reduziu o ritmo cortando a hipótese de Aleix lutar pela pole-position.

Na volta 5, surgiu o incidente na curva 5, quando os dois primeiros do Campeonato Mundial se colidiram. Quartararo tentou passar Espargaró por dentro, mas a frente da Yamaha fugiu e foi bater na Aprilia. O francês levantou a Yamaha, e regressou à corrida, enquanto Espargaro conseguiu manter a Aprilia em pé numa incursão pela gravilha evitando a queda  mas caiu para P15.

Bezzecchi rodava na P2, com a vantagem de Bagnaia a aumentar para  1,3 segundos,   Martin era terceiro à frente de Binder. O sul-africano estava de volta à P5 até ser ultrapassado por Viñales no complexo de Ossebroeken na volta 10.

Algumas voltas depois, De Strubben voltou a fazer moça a Quartararo. O francês voltou a cair, depois de uma visita aos boxes onde procurava uma reparação rápida da embraiagem que não sendo possível, regressou à corrida com 2 voltas de atraso, para voltar a cair pela segunda vez. Felizmente, para Quartararo as duas quedas não lhe trouxeram nenhuma lesão, mas em Silverstone terá de fazer uma volta longa como penalização por condução irresponsável.

Entretanto, Bagnaia continuava a liderar a corrida, enquanto Espargaro era o foco de todas as atenções pela enorme recuperação que estava a fazer. O espanhol rapidamente se aproximou da batalha pelo nono lugar entre Johann Zarco(Prima Pramac Racing) e Joan Mir (Team Suzuki Ecstar) quando, algumas posições à frente, Takaaki Nakagami (LCR Honda Idemitsu) recebeu uma Long Lap Penalty por ultrapassar os limites da pista, passando o #41 a ocupar os dez primeiros. Mas muito mais havia para vir.

Praticamente a única coisa que ainda não tinha acontecido na corrida era chuva, mas esta também começou a cair. As bandeiras de chuva e depois a bandeira branca, sinalizando que os pilotos podiam trocar de mota, começaram a acenar ao longo da pista, mas a chuva não foi o suficiente convencerem os melhores pilotos do mundo, a rodarem com pneus de slick trocarem de mota. O que não invalida ter sido um período complicado na corrida, com Viñales a ultrapassar Martin passando para a P3 em Geert Timmer Chicane na volta 17, na volta seguinte, foi a vez de Binder e Miller ultrapassaram o piloto da Pramac que correu com uma lesão no pulso.

Pelo segundo fim de semana consecutivo, Miller estava a fazer uma corrida extraordinária depois de recuperar de uma volta longa, passando Binder para ocupar a  P4 no início da volta 21 e perdendo pouco tempo para se aproximar de Viñales, tentando 2 pódios consecutivos. A cartada foi jogada na Timmer Chicane no final da volta 25, mas alargou a saída demais e teve que ceder a posição, ficando novamente sob a pressão de Binder.

Rodando na frente e livre de todo este caos, Bagnaia conquistou a vitória em Assen enquanto Bezzecchi levava a equipa VR46 ao êxtase com o seu primeiro pódio na categoria rainha, e Viñales na P3 depois de escapar das garras de Miller.

Aleix Espargaro, desta vez, apenas deixou de lutar quando viu a bandeira de xadrez. O piloto da Aprilia tinha galgado posições até P6 o que já era uma recuperação admirável, mas ainda teve forças e talento para travar mais tarde que Miller e Binder na Timmer Chicane, passando os dois de uma rajada e fazendo desta ultrapassagem candidata à melhor do ano, da década ou talvez mais…

Brad Binder ficaria em quinto, à frente de Miller, Martin e Mir. Mir no arranque bateu em  Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory Racing) e antes em Luca Marini (Mooney VR46 Racing Team) no início da volta1. Oliveira perdeu a asa nesse incidente, mas ainda assim terminou em nono, à frente de Alex Rins (Team Suzuki Ecstar), Enea Bastianini (Gresini Racing MotoGP™), Nakagami, Zarco, Fabio Di Giannantonio (Gresini Racing MotoGP™) e Alex Marquez (LCR Honda). Castrol) na P15 conseguindo 1 ponto.

Raul Fernandez (Tech3 KTM Factory Racing) retirou-se devido a dores no braço, enquanto os três pilotos da YZR-M1 Franco Morbidelli (Monster Energy Yamaha MotoGP ™) e Darryn Binder (WithU Yamaha RNF MotoGP ™ Team)  caíram e sairam da Catedral sem pontos, com a Yamaha a imitar a Honda que na semana passada também saiu de Sachsenring com zero pontos.

O paddock do MotoGP™ entra agora numas merecidas férias de verão antes do Monster Energy Grande Prémio na Grã-Bretanha  em Silverstone de 5 a 7 de agosto com tudo ainda por decidir.

Classificação Corrida MotoGP™Classificação Campeonato MotoGP™ 

Classificação Corrida Moto2™Classificação Campeonato Moto2™ 

Classificação Corrida Moto3™Classificação Campeonato Moto3™ 

Classificação Corrida1 MotoE™Classificação Corrida2 MotoE™ ;

Classificação Campeonato MotoE™ 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui