foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

Na habitual  conferência de imprensa que antecede os Grandes Prémios, na Styria, estiveram presentes, o líder do campeonato, Fabio Quartararo,  o segundo classificado em Brno Franco Morbidelli, o rookie  vencedor em  Brno Brad Binder, o pole-position do GP checo Johann Zarco, nove vezes Campeão do Mundo Valentino Rossi e, um dos homens da casa, o nosso piloto português Miguel Oliveira.

MIGUEL OLIVEIRA(Red Bull KTM Tech 3): “O fim de semana em Brno estava a correr muito bem na sexta-feira. Já era um dia positivo para nós estarmos entre os 3 primeiros, mas cometi um erro em FP3 e caí na minha volta rápida, aquela que poderia ter sido muito boa, talvez 7º ou 8º. Passei para a Q1 e, quase conseguia entrar na Q2, mas tive partir da quinta linha. Já é bastante complicado quando temos que ultrapassar alguns pilotos, para o fazer temos de fazer inteligentes ultrapassagens para não perder de novo a posição. Não é fácil. Olhando para a corrida no papel, tínhamos ritmo para lutar pelo pódio, o que é positivo, assim no final do dia, não preciso tomar isso como um ponto frustrante, posso estar feliz com a posição e minha euipa.

“Todos os pilotos querem dar vitórias à fábrica, especialmente a primeira vitória. Não me comparo com o Brad ou o Pol porque acho que Pol, neste caso, teria adorado dar a KTM sua primeira vitória porque está cá desde o primeiro dia. Não preciso de ficar frustado. Estou feliz pelo Brad, venceu porque pilotou muito bem. Não me sinto menos um piloto para ser honesto, por não termos vencido a primeira corrida, precisamos nos concentrar nas próximas oportunidades. ”

Em relação à confirmação do regresso do MotoGP ™ a Portugal e ao Autódromo Internacional do Algarve para o final da época …

“É uma notícia empolgante, claro! Para mim, como piloto português, gostaria de fazer uma corrida em casa e vai acontecer  no final da temporada. Não podia estar mais feliz por irmos correr em Portimão. uma pista super técnica, muito exigente, penso que será divertido correr lá no MotoGP. ”

Para já começar, numa brincadeira em que os pilotos teriam de desenhar a pista com os olhos vendados, Miguel Oliveira foi aquele que a melhor desenhou.

FABIO QUARTARARO (Petronas Yamaha SRT): “(Em Brno) Fiquei surpreendido porque na sexta-feira tivemos um momento difícil com a moto, mas na FP4 senti-me muito bem com o pneu médio. Na  10 volta, estava com  uma sensação otima com a  mota. Quando começou a corrida, tive um pequeno momento na Curva 3 e comecei a pilotar de forma. No final estava muito difícil de controlar a mota. Forcei tudo na frente e o pneu traseiro ficou  destruído desde o início; não podia fazer nada. O mais importante era terminar a corrida, porque já era difícil pilotar nestas condições. Podemos dizer que o P7 neste tipo de corrida, uma das mais difíceis   que já tive, foi um ótimo resultado.

“Cheguei aqui na segunda-feira e quando olhamos a previsão, parece que vai chover na sexta e no sábado e sol no domingo, faremos o nosso melhor em todas as condições, mas é verdade que não é fácil fazer um GP nestas condições.

FRANCO MORBIDELLI (Petronas Yamaha SRT): “Gostei de Brno. Gostei muito durante todo o fim de semana. Consegui ser o mais rápido sempre quis. E consegui meu primeiro pódio. É uma sensação agradável – uma boa injeção de moral- para encarar este fim de semana, que no papel parece mais difícil porque historicamente esta pista não é a melhor da Yamaha. Mas, olhando para o ritmo da Yamaha agora, estamos rápidos em todas as condições e situações até agora, então por que não continuar a  acreditar  em alcançar bons resultados, mesmo nesta pista.

“Gosto desta pista. Terminei em 2º em 2016 e em 1º em 2017 e é uma pista um pouco especial, por isso gosto e é positivo, como disse, tenho uma grande injeção de autoconfiança e estou realmente ansioso para começar este fim de semana. ”

BRAD BINDER (Red Bull KTM Factory Racing): `Foi um dia que sempre sonhei, finalmente consegui uma vitória foi fantástico. Foi realmente incrível para toda a minha equipa, para a  Red Bull KTM e para todos os que me apoiam. Um ótimo fim de semana e um dia que nunca esquecerei.

“Fiz algumas voltas em  Jerez no final do ano passado, mas nessa altura ainda não tinha a certeza de como seriam as coisas com uma moto de MotoGP. Vai ser muito bom experimentar em  condições de chuva de novo, estou ansioso É um fim de semana muito importante para a Red Bull e para a KTM, é o seu Grande Prémio em casa, seria fantástico ter um bom fim de semana, mas é importante manter os pés no chão.

“Depois da minha primeira temporada em 2012 no GP de Valência,  pensei que estava a caminho de casa. Nunca tive um contrato para o próximo ano e tive muita sorte que a Ambrogio Racing me escolher para a próxima temporada. Se não fosse por isso, provavelmente estaria em casa sentado atrás de uma mesa, tiro o chapéu para eles e muito obrigado. Estou ansioso por este fim de semana para ver como nos sairemos. ”

JOHANN ZARCO(Esponsorama Racing): “Tenho muita motivação depois do pódio na República Checa. Este pódio deu-me confiança, além disso, sei que a Ducati é forte nesta pista, o que me dá alguma esperança, grandes esperanças, mas como Brad disse, vou manter os  pés no chão, porque ainda estou a aprender a pilotar a moto e a tentar controlá-la para ser mais rápido, concentrando-me  em fazer as coisas certas passo a passo. Vamos ver o que é possível.

“Não tenho ideia do porquê as outras (Ducatis) não estiveram no fim de semana. Não estou muito interessado. As coisas estão a correr bem para mim, na pole-position, a maneira como fiz a volta, correu tudo bem e depois tive a surpresa positiva do tempo e da pole position. Depois, a partir da tarde de sábado tudo correu bem e a corrida também foi boa porque comecei na frente e quando se faz as primeiras 10 voltas no grupo da frente a segunda parte da corrida corre melhor, não fica mais fácil, mas com os pneus gastos controlo melhor e isso fez a diferença em comparação com os outros. ”

VALENTINO ROSSI (Monster Energy Yamaha MotoGP): “O final da corrida (Brno) foi positiva para mim. Infelizmente cometi alguns erros na qualificação e tive de partir da quarta linha e depois é difícil de recuperar. Tive bom ritmo e senti-me bem com a moto, também na segunda metade da corrida consegui puxar. Recuperamos posição por posição, tentamos andar de forma inteligente e fazer ultrapassagens claras. Andei muito tempo com o Rins, fizemos a corrida juntos desde atrás até chegar ao Johann nas últimas voltas mas não foi o suficiente para o pódio. Por um  lado é um sentimento positivo porque gostei da corrida, posso pilotar bem, também em condições difíceis, e não foi muito mau. Por outro lado precisamosde  melhorar algo, especialmente ao sábado, para partir de uma melhores posições.

“No papel, esta corrida não é boa para a M1 porque a velocidade máxima não é o nosso forte, mas como em 2019, a moto estava boa e fizemos uma boa corrida com a M1. Estivemos um pouco longe de Ducati e da Honda mas lutámos pelo pódio. Temos que tentar ser fortes e tentar lutar pelo pódio, as previsões atmosféricas vão ser muito importantes. Parece que podem mudar da manhã para a tarde, não está claro o que vai acontecer. Portanto, precisamos estar fortes e prontos em todas as condições. “

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui