foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

Como verificamos na sexta-feira, as previsões de chuva falharam, o que provocou uma certa expectativa na FP3, já que, na FP2, muitos pilotos não conseguiram melhorar os seus tempos da FP1, o que os colocava fora da Q2. O tempo a superar era 1m30s765, de Franco Morbidelli. Já Miguel Oliveira apresentou-se na oitava posição, com 1m30s608.

No entanto, no Circuito Internacional de Chang, em Buriram, na Tailândia, a verdade é que a terceira sessão do Grande Prémio da Tailândia foi bastante morna, com poucas alterações nas primeiras posições, o que fez com que Miguel Oliveira mantivesse o seu oitavo lugar até 8 minutos antes do término do FP3. No minuto seguinte, o português caiu para a nona posição, depois para 11.º, a 1m30 do fim da sessão, e depois para a 12.ª posição…

Na sua última volta na FP3, o piloto de Almada não conseguiu o seu objectivo e o melhor que alcançou na terceira sessão foi 1m30s818, 11.ª classificado (12.º no combinado), com Jorge Martin a registar o melhor tempo das três sessões, com 1m30s205.

Na FP4, Miguel Oliveira, com pneus duro à frente e médio atrás, alcançou o 10.º tempo, com 1m31s224 (Johann Zarco foi o mais rápido, com 1m30s830), numa sessão que apresentou 30º C. O piloto de Almada rodou quase sempre na casa do 1m31, provavelmente o ritmo de tempo da corrida no domingo.

Com pneus macio à frente e médio na traseira no início do Q1 e com médio à frente e macio atrás após a paragem nos boxes, Miguel Oliveira voltou a mostrar o seu valor e alcançou o segundo lugar da sessão, ou seja, garantiu um lugar no Q2. Na sétima volta no total de oito voltas dadas, o Falcão alcançou o tempo de 1m30s099, curiosamente na mesma volta em que Marc Marquez obteve o melhor registo da Q1, com 1m30s038.

Na Q2, Miguel Oliveira aproveitou apenas os cinco minutos finais da sessão. Com pneu macio atrás e médio na roda dianteira, o Falcão apostou tudo e acabou por não ser recompensado, já que alcançou o 11.º tempo da qualificação, com 1m30s485, num dia bastante desgastante para o piloto de Almada, que viu Marco Bezzecchi alcançar a sua primeira pole position e registar um novo recorde do circuito, 1m29s671 (o anterior era de Fabio Quartararo, com 1m29s719). Como curiosidade, se Miguel Oliveira repetisse o mesmo tempo da Q1, iria sair na sétima posição.

Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory Racing): “Um sentimento misto hoje porque eu queria fazer uma boa volta na FP3, mas parti muito tarde e com as bandeiras amarelas não era possível. Sabia que havia hipótese  de passar para a Q1 e que poderíamos fazê-lo. Senti que demos um passo em frente com a moto esta tarde por isso fui bastante rápido. Também queria economizar um pouco de energia para a última volta na Q2, mas olhando para trás, devia ter saído com um pneu usado fazer um tempo e  partir daí. Mesmo assim, estou feliz com o desempenho. O nosso lugar na grelha de partida não é nada especial, mas acho que podemos fazer uma boa corrida amanhã.”

Brad Binder (Red Bull KTM Factory Racing): “Hoje foi muito, muito bom. Comecei bem esta manhã, fui forte desde a primeira saída e pude ser muito consistente ao longo do dia, o meu ritmo foi bom e estou feliz com a maneira como trabalhamos. Coloquei o pneu macio e fui direto para a Q2.  Na FP4 foi ótimo senti-me muito confiante com o que tinha. O único deslize do dia foi na qualificação, quando começámos com o pneu traseiro médio para termos um pneu sobresselente macio para amanhã. Entrei para usar nosso pneu macio para a tentativa da volta de qualificação mas infelizmente, tive que encostar e não consegui. Isso foi um pouco chato, mas, de qualquer maneira, é o que é. Não tira nada do fato de que temos um ritmo muito bom e acho que posso fazer um bom trabalho amanhã.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui