foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

Já passaram 25 anos, e o MotoGP™ está de regresso à Indonésia! A Conferência de Imprensa pré-evento abriu as cortinas do Pertamina Grand Prix da Indonésia, com em Lombok. O mais recente vencedor em MotoGP™, Enea Bastianini (Gresini Racing MotoGP™), juntaram-se no(s) lugar(es) aos pódios do GP do Qatar Brad Binder (Red Bull KTM Factory Racing) e Pol Espargaró (Repsol Honda Team), assim como oito vezes  campeão mundial Marc Marquez (Repsol Honda Team) e o atual campeão do mundo Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha MotoGP).

Como foi vencer a vencer a primeira corrida de MotoGP,  e quais as perspectivas para este fim de semana?

Enea Bastianini (Gresini Racing MotoGP™): “Foi fantástico para mim vencer a primeira corrida no Qatar porque foi inesperado para mim e para a minha equipa. Fizemos um trabalho muito bom durante os testes, mas as corridas são outro mundo. Começamos com o pé direito, especialmente na qualificação. como parti da primeira fila pela primeira vez  a corrida foi mais fácil para mim.

Sentes que podes lutar pelo título?

EB#23:“Isso eu não sei porque o título é muito difícil de ganhar. Ganhei o título em 2020 na Moto2 e estou aqui para conquistar o título na MotoGP, mas de momento não tenho muita experiência. No Qatar geri bem a corrida e estamos aqui em Mandalika, uma pista nova, só fizemos um teste aqui, e veremos durante o Campeonato. A minha meta continua a ser as cinco primeiras posições em 2022.”

Qual é a sensação do MotoGP correr aqui pela primeira vez em 25 anos?

EB#23:“Na Indonésia, os fãs são incríveis. Quando chegámos, havia muita gente do lado de fora do aeroporto, na estrada, em todos os lugares. É incrível ver o presidente pela primeira vez, eu nunca disse olá a nenhum presidente, são muitas emoções para mim.”

O foco principal foi fazer um pódio no Qatar?

Brad Binder (Red Bull KTM Factory Racing): “O Qatar é uma pista muito difícil para nós, tivemos muitas dificuldades lá no passado. De alguma forma, com a nova mota, as coisas encaixaram-se desde o início. Sim, estou muito feliz com o progresso que fizemos. Definitivamente incrível começar o ano com um pódio, mas temos trabalho a fazer, com as afinações, para realmente tentar encontrar o melhor em todas as áreas. No geral, a equipe e eu estamos muito felizes e vamos ver o que podemos fazer neste fim de semana.”

Quais as suas hipóteses aqui?

BB#33:“O teste foi muito bom para nós há algumas semanas. Desde as primeiras voltas tivemos uma sensação muito boa e, ao longo do fim de semana, tentamos algumas coisas diferentes; algumas boas, outras não tão boas. Em geral, nosso ritmo não foi nada mau e quando fui fazer voltas rápidas, consegui fazer um bom tempo de volta. Sinto-me forte e bem vindo,   quero levar um dia de cada vez, uma sessão de cada vez, e domingo dar tudo de mim e ver onde terminamos.”

Como estamos em termos de confiança?

Pol Espargaró (Repsol Honda Team): “Em termos gerais, estou muito feliz com a pré-temporada, mas sabes como é , é difícil esperar algo da pré-temporada. Há muitos nervos na primeira corrida da temporada, não sentimos o mesmo desde Valência, assim estava muito nervoso. Quando estabelecemos uma meta alta na pré-temporada, não se pode fazer nada por menos senão o máximo. Comecei a corrida muito bem, estabeleci um bom ritmo, pude começar a fazer tempos por volta muito bons, a corrida foi super rápida, muito mais do que no ano passado, isso mostra o porquê de  a Honda ter trabalhado tanto durante a pré-temporada. Lutei pela vitória até as últimas cinco voltas, depois ataquei mais mas os  meus pneus disseram ‘chega’,  de qualquer forma gostei da corrida e foi uma boa maneira de começar o ano.

Esta é a sua melhor oportunidade de vencer no MotoGP?

PE#44:“Foi bom aqui na pré-temporada , gosto deste circuito. Não foi fácil lidar com três dias de testes aqui, mas eu não era o único piloto rápido aqui: Enea foi muito rápido, Marc foi muito rápido, Fabio foi muito rápido. As Ducatis de fábrica não foram super rápidas, mas com certeza estarão a  postos depois de resolverem os problemas do Qatar. Espero uma corrida renhida”

Qual é a sensação de o MotoGP correr aqui pela primeira vez em 25 anos e ser tratado quase como uma estrela do rock?

PE#44:“Sim,  é como nos sentirmos uma estrela do rock, a mesma sensação. Honestamente, é incrível ir a lugares como este e mostrar que o que amas, são as motas, para pessoas que também amam este desporto e te encontras  no nível mais alto. É algo louco, difícil de explicar. Andar nas estradas de Jacarta cheios de pessoas ao nosso redor, muitas motos atrás e fãs nos seguindo de motos. Como Enea disse, o presidente é um grande fã e tem a sua própria moto. É como regressar no tempo a Espanha, quando me lembro que fui ver as  corridas com meu pai para ver o Criville, dormir junto à pista, cheio de paixão, é lindo. 

Quais são os pontos positivos do Qatar?

Marc Marquez (Repsol Honda Team): “O Qatar foi um fim de semana sólido. Nada realmente de especial, mas estávamos lá, não muito longe das primeiras posições, esse era o meu objetivo. Claro que tentei, tentei estar no pódio e seguir Enea quando ele me  ultrapassou mas não era o dia, nem a hora. Vamos ver, nosso objetivo este fim de semana é melhorar o resultado do Qatar, e depois na Argentina, melhorar o resultado daqui. Passo a passo, sinto-me bem. Conseguir fazer as 22 voltas,  foi a melhor sensação que tive nos últimos dois anos. Vamos ver como podemos abordar este fim de semana. Pol foi um dos pilotos mais rápidos nos testes, deve estar na luta para vencer este fim de semana .Enea, Fabio e Brad também estão lá, muitos pilotos novos, e com grande andamento.

Os testes com a nova moto trouxeram mais confiança aqui?

MM#93:“Durante a  corrida no Qatar entendi do que  precisava, e qual a direção a seguir para o meu estilo. Nos testes é sempre  difícil, nos treinos também é difícil porque apenas fazemos cinco voltas seguidas de cada vez. Com  22 voltas seguidas, podemos perceber  os pontos menos fortes. Percebemos melhor,  e vamos procurar encontrar o caminho, mas se não for possível, sabemos que configuração de base está a funcionar bem.”

Qual é a sensação do MotoGP correr aqui pela primeira vez em 25 anos?

MM#93:“Desde que vim aqui pela primeira vez em 2014, senti que os fãs indonésios são diferentes. Tenho um bom relacionamento com eles desde a primeira vez. Este é um tipo de país em que te sentes bem. Ontem foi um dia diferente e um evento importante para o MotoGP e todos os pilotos. É um país importante para os nossas fabricas e sim, estou ansioso por correr aqui à frente de todos eles!”

Que conclusões  tiraste da prova de abertura da temporada?

Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha MotoGP): “Foi difícil. Esperava muito mais do Qatar, mas a verdade é que durante os três dias de testes faltou-no aderência. Na corrida tentámos algo mas a pressão na roda da frente desde o início estava errada, por isso foi uma corrida muito difícil. Aprendemos sempre nestes momentos difíceis. Sinto que aqui fomos rápidos no teste, mas testar é totalmente diferente de correr, vamos ver o que podemos fazer.

Será a Yamaha mais competitiva aqui?

FQ#20: “Acho que o melhor é ter retas mais curtas. Fiz as voltas rápidas  nos últimos minutos do terceiro dia, Pol já estava na área e durante a manhã era muito difícil. Vamos ver. Temos sexta e sábado para perceber. Vamos ver, mas com certeza darei o meu melhor para estar lá e lutar até onde acharmos que podemos lutar.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui