foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVES

O Teste Oficial de MotoGP™ Sepang de dois dias terminou este domingo e com uma nova volta mais rápida de sempre em Sepang. Enea Bastianini (Gresini Racing MotoGP™), apenas no seu segundo dia pilotando uma moto de MotoGP™ no Circuito Internacional de Sepang, marcou 1:58,131s batendo o piloto mais rápido do 1ºDia  Aleix Espargaró (Aprilia Racing) por apenas 0,026s. De salientar ainda que 20 pilotos ficaram separados por apenas 1,066 seg. com  Jorge Martin (Pramac Racing) em terceiro lugar a apenas 0,112 dos dois primeiros.

KTM

A KTM, fez um teste discreto nas tabelas de tempos, mas o novo manager da equipa  Red Bull KTM Factory Racing, Francesco Guidotti, disse que o foco por enquanto, após o difícil ano de  2021, é obter uma boa base para começar a temporada. Guidotti lembrou que ainda  tinham muito trabalho pela frente, com os testes com as muitas peças novas e avaliar melhor as peças de 2021. Algumas peças foram “muito melhores do que o esperado”, e outras “mais ou menos”, de acordo com o italiano.

Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory Racing) foi o piloto mais rápido do contingente de Mattighofen em 15º, mas ainda a 0,570 da volta mais rápida de sempre da pista, Brad Binder ficou a apenas alguns lugares e algumas décimas atrás do seu companheiro de equipa. O rookie, Raul Fernandez (Tech 3 KTM Factory Racing) ficou logo atrás a 0,164 do sul-africano. O campeão de Moto2™ de 2021, Remy Gardner, ainda a lutar com  a dor depois de partir o pulso nos treinos de pré-época, fez a melhor volta de 1m59,348s.

Ducati

Bastianini foi o melhor piloto Ducati no Dia 2 – na GP21 –  parando o domínio da Aprilia no sábado. Jorge Martin, que  bateu Bastianini na luta pelo Rookie of the Year da época passada, ficou em terceiro.  Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team) fez uma grande subida na tabela de tempos terminando em sexto no domingo, a 0,134s de Bastianini, com Johann Zarco (Pramac Racing) em nono. Jack Miller (Ducati Lenovo Team) acabou na P14.

As GP22 aparecem com uma nova aerodinâmica, uma entrada de ar atualizada, e um novo dispositivo de altura de acordo com o peso do piloto que causou impacto com a casa de  Borgo Panigale a continuar nos limites mo que respeita à  inovação.

Aprilia

Depois de um fantástico 1-2 no primeiro dia, a Aprilia Racing terminou o Teste de Sepang em P2 e P5 graças aos esforços de Aleix Espargaró e Maverick Viñales. A nova moto de 2022 – com atualizações gerais – foi muito bem recebida pelos dpois os pilotos. Aleix Espargaró elogiou as melhorias de velocidade em curva, embora o espanhol permaneça indeciso sobre qual chassi é o melhor.

O diretor técnico Romano Albesiano explicou que  Espargaró realizou simulações de corrida  “para medir a temperatura dos componentes “, sem o tema do quão rápido Espargaró e Viñales conseguem ser. Uma coisa é certa, a casa de Noale começou 2022 com o pé direito. Tanto Espargaró como Viñales estão a apenas 0,130s do tempo mais rápido de Bastianini, assim mais três dias em Mandalika devem dar o  tempo suficiente para resolver quaisquer problemas antes do GP do Qatar.

Suzuki

A Suzuki confirmou que “melhorou significativamente o motor”,resultado do trabalho realizado no inverno pelos engenheiros da  fábrica de Hamamatsu, com os motores de 4 cilindros  em linha – Suzuki e Yamaha – procuram ganhar velocidade máxima sem comprometer maneabilidade. Houve também tempo para atualizações aerodinâmicas e de chassi, com bons resultados.

Alex Rins (Team Suzuki Ecstar) foi o piloto mais uma vez o piloto mais rápido da Suzuki, ficando em quarto e a menos de uma décimo e meia do topo. O campeão de MotoGP 2020 ™ Joan Mir fez a  P12, a quatro décimos de Bastianini,  caiu durante o teste mas sem consequências.

Yamaha

O motor da Yamaha tem sido alvo de discussão mas mesmo depois de vencer o Campeonato do Mundo em 2021, Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha MotoGP™) queria mais velocidade máxima. Foi dado um pequeno passo, mas tanto Quartararo quanto o manager da equipa Maio Meregalli explicaram que esperavam uma mais velocidade, assim  tentam melhorar outras áreas – principalmente aerodinâmica – para tirar o melhor proveito do YZR-M1 atualizado.

“Não fizemos nenhuma revolução, tentamos melhorar a moto que usamos no ano passado e colocamos o foco  principalmente na aerodinâmica, começamos a comparar dois chassis e na minha opinião o ‘teste real’ será em Mandalika, onde os pilotos verão a sua velocidade e confiança de volta”, palavras de Meregalli a Jack Appleyard e Simon Crafar comentadores do MotoGP™. “Vamos lá passar três dias trabalhando e testando todos os componentes que testamos aqui e verificar se funcionam melhor.”

Honda

O trabalho na completamente nova RC213V  continuou no 2ºDia para o quarteto do HRC Marc Marquez, o companheiro de equipa da Repsol Honda Pol Espargaró, Alex Marquez (LCR Honda Castrol) e Takaaki Nakagami (LCR Honda Idemitsu), com o #93 a terminar o teste como o piloto mais rápido Honda.

Marc Márquez terminou o teste com 1:58.332 na P8, com o espanhol a realizar 101 voltas importantes no total. A nova moto “tem muitas diferenças ” em relação à RC213V anterior e Marc Marquez admitiu que precisa de tempo para encontrar os limites com a nova moto, assim no final do 1ºDia estava “muito cansado”.  Duas quedas no primeiro dia não afetaram os seus preparativos para a nova temporada, e os três dias que se avizinham na Indonésia serão vitais para o 8x campeão do mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui