foto: ALPHA ONE MEDIA / CHRISTOPHER REEVE

Marc Marquez consegue mais uma Pole Position a sua terceira esta época depois de Argentina e Américas e ganhou mais 25 pontos tendo agora 107 pontos e uma vantagem de 36 pontos sobre Vinales (71 pontos),  e de 42 pontos sobre Dovizioso (65 pontos) preparando-se para conseguir o seu  hepta BMW Award , este ano um BMW X4 ?

A luta pelo titulo parece mais renhida, cada vez mais jovens pilotos alcançam o Pódio, veja-se a última corrida de Jerez onde Marc com 26 anos foi o piloto mais velho do pódio, e marcas onde à  Ducati se juntou a Suzuki, com a KTM e a Aprilia a encontram-se mais perto de desafiarem as tradicionais Honda e  Yamaha.

O 50ª GP de Le Mans (1969) que teve a vitória na prova de abertura da legenda Giacomo Agostini onde uma grande legião de fans do piloto português Miguel Oliveira ( Red Bull  KTM Tech 3) marcou presença nas bancadas, e também por isso o português fez a sua 2ª melhor classificação na classe rainha o 16 º lugar.

A corrida começou de uma forma insólita com dois pilotos a caírem na volta de aquecimento devido ao muito frio que se fazia sentir na pista e ao fato de usarem pneus de mistura média e não macia como os restantes, assim, Joan Mir (Team Suzuki Ecstar) e Karel Abraham ( Real Avintia Racing) pelo que tiveram de regressar às boxes e partir com a segunda mota.

O Arranque foi de cortar a respiração, com a luta entre Marc Marquez (Repsol Honda Team ) e Jack Miller ( Pramac Racing) seguidos de  Valentino Rossi ( Monster Energy Yamaha  MotoGP) e das Ducatis oficiais Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci, (Ducati Team) Miguel Oliveira perdia um lugar e seguia na 17º posição.

Na 4ª volta, Miller passa Marquez, a primeira vez desde a corrida inicial no Qatar que o espanhol consentiu uma ultrapassagem, Dovi e Rossi aproximam-se com a luta entre os dois da frente, até que Miller cede o primeiro lugar a Marquez e pouco depois é ultrapassado por Dovizioso.

Este ano a mala sorte não para de perseguir Maverick Viñales ( Monster Energy Yamaha  MotoGP) que na volta seis é abalroado pelo campeão de Moto2 Francesco Bagnaia ( Pramac Racing) que cometeu um excesso na travagem.  Duas voltas depois Andrea Iannone  ( Aprilia Racing Team Gresini) cuja adaptação à Aprilia até ao momento deixa muito a desejar, entra nas Box desistindo sem motivo aparente.

Na 10ª volta, Miguel  Oliveira entra nos pontos, Rossi na quarta posição é atacado por Petrucci que tenta recuperar de um erro que cometeu nas voltas iniciais e Marquez faz a volta mais rápida ganhando uma vantagem de 0,7 seg. sobre Miller.

Pol Espargaro ( Red Bull KTM Factory Racing) roda num brilhante sexto lugar que não perderia até final da corrida.

A vantagem de Marquez para os restantes é feita na última curva, quando comparados os tempos parciais, onde ganha cerca de 0,2 seg por volta, cifrando-se a vantagem na 15ª volta em 1,7 seg. relativamente a  Miller e Dovizioso que seguiam juntos.

As atenções viram-se para o francês Fabio Quartaro ( Petronas Yamaha SRT)  que passa o colega de equipa de Marquez , Jorge Lorenzo (Repsol Honda Team ) e alcança  a nona posição.

Takaaki Nakagami ( LCR Honda IDEMITSU) cai na curva 11 e as três Ducatis lutam pelos 2 lugares ainda disponíveis no pódio pois a vantagem de Marquez já era de 2 segundos.

Ordens de equipa no seio da equipa Ducati, é coisa que não existe, estamos a falar da classe rainha do motociclismo, não de formula 1 onde as ordens existem e são para cumprir como sabemos, pelo que Petrucci nas quatro voltas finais , tudo fez para ultrapassar Dovizioso, com várias trocas de posição mas com a vantagem final para Dovizioso, o que desde já abre o apetite para o próximo GP em Mugello daqui a quinze dias.

Aleix Espargaro (Aprilia Racing Team Gresini) depois de um brilhante nono lugar na grelha de partida,  roda na 12ª posição e segura o homem da pole do ano passado Johann Zarco (Red Bull KTM Factory Racing). mas mais à frente o seu compatriota e estreante Fabio Quartaro passa o experiente Cal Crutchlow (LCR Honda CASTROL) para delírio dos publico da casa acabando a corrida na oitava posição.

Miguel Oliveira descontente com as diferenças evidentes para a mota de fábrica de Pol Espargaro, roda na 14ª posição mas uma penalização de 1,5 seg. por ultrapassar os limites da pista, fá-lo  perder uma posição para o colega de equipa Hafizh Syhrin ( Red Bull  KTM Tech 3) que assim consegue os seus primeiros 2 pontos da temporada.

Marc Marquez, (Repsol Honda Team )  termina a corrida como vencedor, como o seu irmão o tinha conseguido na corrida anterior,  seguido das Ducatis de Dovizioso, Petrucci e Miller com Rossi a tentar tudo para alcançar o Pódio.

Marquez com esta vitória, são 47 só na classe rainha, no total já contabiliza 73 nas três classes, iguala o colega de equipa Jorge Lorenzo como o quarto piloto mais vitorioso de sempre  e alcança mais uma marca histórica ao conseguir a vitória número 300 para a Honda no MotoGP™.

Classificação Corrida GP França

Classificações Gerais

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui