Depois da conferência de imprensa do GP da Malásia Valentino Rossi desenvolveu com a imprensa italiana os seus comentários em relação a Márquez.

Achas que o Márquez ajudou o Lorenzo em Phillip Island?
“É realmente verdade que o Márquez não jogou com nós os dois, ele só o fez comigo! É importante que ele saiba que eu sei! Agora vejamos o que aconteceu, mas estou preocupado porque ter de lutar com o Lorenzo é uma coisa, mas se também tiver de bater o Márquez tudo se torna mais difícil – o que se passa é que ele não está a ser justo (algo que um piloto profissional tem de ser nestas situações). Em especial porque o Márquez pode ser muito competitivo nas duas últimas corridas.”

“Para mim é uma grande desilusão, fiquei desapontado, foi há algumas corridas que soube, mas não esperava que fizesse algo tão óbvio. Sinto-me desapontado, triste e preocupado porque ele vai certamente tentar fazer o mesmo aqui e em Valência.”

Então porque é que ele acabou por também ultrapassar o Lorenzo?
“Na corrida não vi, mas não compreendi; o Márquez estava um passo acima de todos, mas em vez de tentar lutar com o Lorenzo, ele manteve-se comigo para lutar com o Iannone e outros. Ele sabia que eu estava a perder para a Ducati em recta. E sempre que o tentei passar ele voltou a passar-me (super-agressivo, mas é assim mesmo). Mas depois abrandou para dar margem ao Jorge. O azar dele foi no domingo o Jorge não estar muito forte porque, de outra forma tinha acabado logo. Ao contrário, ele manteve sempre o Jorge sob controlo, sabendo que o podia apanhar em três voltas e depois tentou travar-me a mim e ao Iannone, talvez a tentar colocar outros pilotos entre mim e o Jorge. E no final foi o que fez. É claramente preocupante, mas não me preocupa em demasia.”

Porque pensas que fez isto?
“Porque ele preferia que o Lorenzo ganhasse. Ele está zangado comigo por motivos pessoais. Apesar de nunca o ter dito, ele pensa que na Argentina o fiz cair; e depois em Assen, ainda está a pensar na última chicane, na cabeça dele acha que devia ter ganho essa corrida. Desde então ele tem estado zangado e a pensar como uma criança; não ganho, mas tu também não. Nesta altura o mal menor para ele é o Lorenzo.”

É algo que te motiva, ou te deixa zangado?
“Vejamos. Por ele ser mais rápido, mas rodar devagar para se envolver em lutas mais atrás, pode tornar-se difícil. Porque ele não tem nada a perder, mas eu tenho. Tenho de ter atenção. Lamento e estou muito zangado. Não esperava que o Márquez fosse um obstáculo para este Campeonato, pensei que só tinha de lutar com o Jorge, como devia ser.”

Por ele te idolatrar achavas que isto não aconteceria?
“Atenção, aqui temos de clarificar uma coisa: ele idolatrava-me mesmo? Tinha mesmo um cartaz meu em casa? Não tenho a certeza. Gostava de viajar no tempo e ver. Também será uma questão de carácter, ele é competitivo comigo: quero vencer o maior número de Campeonatos do Mundo possível. Se vencer mais um título então ele sabe que terá de ganhar ainda mais para me ultrapassar. Ao contrário, se for o Jorge a ganhar para ele será mais ou menos o mesmo.”

Foi melhor com o Biaggi, porque ele ao menos deixou as coisas claras?
“É verdade, tem razão. No geral, prefiro o comportamento dele. Fomos muito maus um para o outro, mas pelo menos foi claro e honesto. Mas não tinha o número de telefone dele.”
Isto tudo começou em Laguna Seca?
“Houve muitos momentos, em Laguna Seca ele queria fazer o que eu tinha feito ao Stoner cinco anos antes, quando ele me podia ter passado facilmente três curvas depois. Foi o primeiro sinal. E disse-o logo, mas não queria acreditar.”

Tanto Jorge Lorenzo como Marc Márquez foram contundentes em negar estas afirmações, tendo ironizado Lorenzo com um rotundo claro que sim, por isso fiquei em segundo na corrida e, o campeão do mundo negando  Rossi, argumentando com se queria realmente ajudar Lorenzo não teria arriscado na tanto na última volta para ganhar a corrida…

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.