Valentino deveria ter sido um óptimo professor de matemática, se as motas não se lhe tivessem atravessado no caminho, pois os números são com ele, vejamos … ao 100º GP obteve a sua quadragésima sexta vitória, obtendo naturalmente a média impressionante na altura de 46% de vitórias em cada partida de Grande prémio no Grande prémio da Malásia no longínquo ano de 2008  que coincidiu com o seu mítico número 46.rossi 46

Com mais um número redondo pela frente agora de 250 partidas na classe rainha do MotoGP consegue a sua 108º vitória da carreira e a 82ª nas First Class Races,  aos 35 anos de idade, comemorar com uma vitória sem contestação, é obra !!!

O que nos reservará Rossi para o GP número 300 ???

No sábado Marc Márquez (Repsol Honda Team) garantiu a 12ª pole da época e igualando o recorde de Casey Stoner de maior número de pole positions numa época de MotoGP™,em 2011, e as 12 poles de Mick Doohan nas 500cc, em 1997.

Cal Crutchlow (Ducati Team ) fez o segundo melhor tempo e Jorge Lorenzo (Movistar Yamaha MotoGP) completou a 1ªlinha de partida.

 

Já sem pressão depois de ter garantido o título no fim‑de‑semana passado no Japão, Márquez tinha-se isolado na frente no que parecia ser um passeio tranquilo rumo ao 12º triunfo do ano, tentando igualar o recorde de Mick Doolan de 1997 com o maior número de vitórias numa só época de Grandes Prémios da categoria rainha. Mas Márquez acabou a corrida mais cedo ao perder a frente da moto à saída de Lukey Heights quando liderava com quatro segundos de margem.

Valentino  Rossi (Movistar Yamaha MotoGP) que partiu de oitavo na grelha para o 250º Grande Prémio na categoria rainha e estava no local certo para tirar partido da queda de Márquez a dez voltas do final.pole

O colega de equipa Lorenzo terminou em segundo, apesar de ter perdido ritmo no final, enquanto Cal Crutchlow caiu à frente do espanhol na última volta. Smith, da Monster Yamaha Tech3, estreou-se no pódio do MotoGP™ numa prova onde foram nove os pilotos que caíram, ou não lograram terminar, muitos deles homens da frente do pelotão.

Andrea Dovizioso (Ducati Team) foi quarto com Héctor Barberá (Avintia Racing) em quinto. No seu 200º GP, Álvaro Bautista (GO&FUN Honda Gresini) foi sexto, com o colega de equipa Scott Redding a terminar em sétimo.

Hiroshi Aoyama (Drive M7 Aspar), Alex de Angelis (NGM Forward Racing) e Nicky Hayden (Drive M7 Aspar) completaram o Top 10.

Karel Abraham (Cardion AB Motoracing) caiu cedo. Também no início, Iannone (Pramac Racing) entrou pela traseira do moto de Pedrosa, lesionando-se e dando por terminada a sua corrida. O contacto levou Pedrosa a entrar nas boxes e a abandonar devidos aos estragos sofridos na sua mota,  ficando impossibilitadode lutar pelo 2º lugar no campeonato.

Stefan Bradl (LCR Honda MotoGP) bateu também na traseira da moto de Aleix Espargaró, o que levou o germânico a ir ao chão. Espargaró (NGM Forward Racing) viu-se forçado a parar algumas curvas depois devido a danos na moto. Broc Parks (Paul Bird Motorsport) entrou nas boxes e desistiu a meio da corrida.rossi  1

Mais tarde, Pol Espargaró (Monster Yamaha Tech 3) perdeu a frente na Curva 4 quando ganhava terreno a Lorenzo e procurava o primeiro pódio de MotoGP™. A meio volta do final Crutchlow (Ducati Team) foi ao chão e perdeu o que era já um praticamente garantido segundo posto.

Depois da corrida Bradl foi penalizado em um ponto pela Direcção de Corrida devido à colisão com Aleix Espargaró na Curva 4. Smith também foi penalizado num ponto por ultrapassar entre bandeiras amarelas na sequência do incidente de Bradl. A colisão entre Iannone e Pedrosa vai ser revista pela Direcção de Corrida em Sepang, já que Iannone está a receber tratamento médico na sequência do acidente.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.