foto : Sociedade de História Natural de Torres Vedras / Lusa

Paleontólogos portugueses e espanhóis poderão ter identificado uma nova espécie de dinossauro carnívoro no litoral de Torres Vedras, Lisboa, que seria o primeiro ‘carcarodontossaurio’ em Portugal e um dos mais antigos do mundo.

“Este exemplar, por um lado, apresenta características diferentes de todas as outras espécies conhecidas até ao momento do grupo ‘carcarodontossaurios’, por outro lado, é o único vestígio conhecido deste grupo neste momento em Portugal e os registos mais próximos do Jurássico Superior conhecidos são de África, em relação aos quais apresenta também algumas características diferentes. Toda esta informação leva-nos a crer que poderá tratar-se de uma nova espécie”, afirmou à agência Lusa a investigadora Elisabete Malafaia, especialista em dinossauros terópodes.

A hipótese é levantada num artigo publicado, esta terça-feira, na revista Journal of Paleontology por esta paleontóloga da Universidade de Lisboa e por Pedro Mocho, do Museu de História Natural de Los Angeles, Pedro Dantas, da Sociedade de História Natural de Torres Vedras, e pelos espanhóis Fernando Escaso e Francisco Ortega, da Universidade de Educação à Distância de Madrid.

O conjunto de fósseis agora descrito, composto por uma sequência de vértebras caudais articuladas, um pé direito praticamente completo, a medir meio metro, e diversos fragmentos do esqueleto do animal foram descobertos e escavados entre 2002 e 2003 nas arribas da praia de Cambelas, freguesia de São Pedro da Cadeira, por elementos da Sociedade de História Natural.

Para os paleontólogos, os fósseis pertencem a um dinossauro carnívoro aparentado a ‘Allosaurus’ mas mais evoluído, sendo identificado ao grupo dos ‘carcarodontosaurios’, que mediria dez metros de comprimento por quatro ou cinco de altura.

Os paleontólogos esperam identificar a espécie com exatidão, dando continuidade ao estudo de outros fósseis pertencentes a pelo menos três espécies de dinossauros terópodes, provenientes de outras jazidas do Jurássico Superior de Portugal.

Além de poder tratar-se de uma nova espécie, este dinossauro é o primeiro ‘carcarodontossaurio’ encontrado em Portugal e um dos mais antigos do mundo, sendo o mais completo do Jurássico Superior.

“No Cretácico, está muito bem representado, nomeadamente no hemisfério sul e, na Europa, em Espanha [existem exemplares do Cretácico Inferior, com 120 milhões de anos] e Inglaterra. Sendo do Jurássico Superior [datado de há 145 milhões de anos], é uma das referências mais antigas a nível mundial, porque, do Jurássico Superior, conhece-se um exemplar em África, mas muito incompleto“, adiantou Elisabete Malafaia.

Por ser um dos mais antigos do mundo, este dinossauro permite também “perceber melhor como foi a evolução inicial deste grupo e a dispersão destes dinossauros no hemisfério norte”.

A diversidade de espécies encontradas na mesma jazida também sugere uma maior diversidade nas faunas de terópodes ‘allosauroides’ do Jurássico Superior da Bacia Lusitana.

Os achados integram a coleção paleontológica da Sociedade de História Natural de Torres Vedras.

// Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.