Entre 1 de janeiro e 30 de junho foram registados 162 dadores, mais cinco do que em igual período de 2014.

Nos primeiros seis meses de 2015, o número de dadores de órgãos registou o “maior recorde de sempre”, segundo informou a coordenadora nacional na área da transplantação, Ana França.
Segundo dados avançados na página da Internet do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), entre 1 de janeiro e 30 de junho foram registados 162 dadores, mais cinco do que em igual período de 2014. Além disso, houve ainda um aumento do número de dadores cadáver e de órgãos colhidos para níveis superiores aos de 2009, ano em que Portugal atingiu valores recorde.

De acordo com Ana França, estes valores são os “melhores de sempre”. “Estes dados fazem-nos animar. Animam-nos a prosseguir. É importante transmitir à população que estamos a trabalhar para minimizar os tempos de espera. Quanto mais cedo os doentes forem transplantados, melhor qualidade de vida terão, e é para isso que nós lutamos”, referiu.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.