A Lockheed Martin, fabricante de produtos aeroespaciais e principal produtora de equipamentos militares do mundo, prepara-se para apresentar o seu novo avião de combate e espionagem SR-72, que será o mais rápido do mundo.

O planos para a criação do sucessor do avião espião Blackbird SR-71 foram anunciados em 2013, mas desde então todos os detalhes do seu desenvolvimento foram mantidos no segredo dos deuses.

O Blackbird SR-71, que quando foi lançado era o avião mais rápido do mundo, atingia velocidades Mach-3, três vezes superiores à do som, mas o novo SR-72 tem características ainda mais impressionantes.

O projeto do SR-72 está sob a responsabilidade do Skunk Works, um programa de desenvolvimento avançado da Lockheed, que considera que o SR-72, uma nave hipersónica não-tripulada, “irá mudar o jogo“.

De acordo com o projeto, SR-72 deve conseguir atingir a velocidade de Mach-6, ou seja, 7.350 km/h. Desta vez, o objetivo não é apenas construir uma nave espiã, como era o caso da SR-71, mas que dê o passo em frente: seja também capaz de atingir alvos.

Especialistas em aeronáutica acreditam que a nova aeronave será capaz de chegar a qualquer lugar do mundo em apenas uma hora.

Rumores de que naves foram vistas em testes têm inundado a internet, e recentemente uma nave não-tripulada teria sido vista nas instalações da Skunk Works. Por enquanto, a única informação confirmada pela empresa é que há planos para testar uma nave no início da década de 2020.

Quando foi lançado, o Blackbird SR-71 era o avião mais rápido do mundo, e atingia velocidades Mach-3

O SR-71 Blackbird começou a ser usado pela Força Aérea dos Estados Unidos em dezembro de 1964 e foi descomissionado 36 anos mais tarde, em 1990.

Entre 1991 e 1999, a Força Aérea emprestou três dos seus Sr-71 à NASA, que os usou em  missões de pesquisa científica. Em 1999, todos os SR-71 restantes foram levados para museus dos EUA e Reino Unido. Foram produzidos 31 SR-71, e nenhum foi abatido, mas 12 foram perdidos em acidentes.

O SR-71 foi apelidado de Blackbird (pássaro negro) por causa da pintura negra, que ajuda na irradiação do calor e diminui o stresse térmico da fuselagem. Devido à altíssima velocidade e atrito com o ar, a temperatura média da superfície externa chega a 330ºC.

Brevemente, aquele ponto que vai ali a rasgar o céu não será nem um pássaro nem o Super-Homem – será o novo avião espião SR-72.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui