Em declarações à agência Lusa à margem do protesto, Catarina Martins afirmou que os deputados do Bloco, que votaram contra o documento, estão “solidários” com o protesto convocado pela CGTP-Intersindical, que trouxe milhares de pessoas a São Bento.

Catarina Martins defendeu que protestos populares como este “fazem diferença” e que a luta contra o Orçamento do Estado “não está encerrada”, lembrando a proposta do Bloco para pedir a sua fiscalização pelo Tribunal Constitucional, a que se juntou o PCP.

O documento é “impraticável e inconstitucional”, apontou Catarina Martins, acrescentando que o executivo que o elaborou “é um Governo sem legitimidade, que se contradiz e assente numa coligação que não se entende”.

“É mais do que óbvia a falta de legitimidade e a fratura da sua base de apoio”, opinou.

Milhares de pessoas encheram hoje as imediações da Assembleia da República, num protesto contra o Orçamento do Estado (OE) para 2013 aprovado, em votação final global, com os votos favoráveis da maioria PSD/CDS-PP, à exceção de um deputado centrista, que votou contra.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui