O Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMFGA) determinou esta quinta-feira o regresso a Portugal do militar alegadamente criticado pela ONU por ter dançado com uma guerrilheira das FARC, disse à Lusa fonte do seu gabinete.

De acordo com a fonte do gabinete do CEMFGA, esta decisão de terminar a comissão de serviço do militar e o seu regresso a Portugal acontece na sequência “dos recentes acontecimentos ocorridos na Colômbia, no âmbito da missão das Nações Unidas naquele território (UNMC), que afetaram as condições para a continuidade da missão de um militar português ali destacado”, sem especificar o caso.

Na sua edição de hoje, o Diário de Notícias avança que o militar português foi criticado pelas Nações Unidas por ter dançado com uma guerrilheira das FARC na noite de fim de ano.

O episódio, que foi captado pela agência espanhola EFE, gerou muita indignação no país.

Este comportamento é inapropriado e não reflete os valores de profissionalismo e de imparcialidade da missão das Nações Unidas”, afirmou o chefe da missão em Bogotá.

Segundo o DN, a missão teve início em dezembro de 2016, tem prevista a duração de um ano e conta com outros sete militares portugueses. O objetivo é “supervisionar o cessar-fogo acordado em agosto do ano passado”, com tarefas como, por exemplo, “vigiar a entrega de armas dos guerrilheiros das FARC”.

O oficial da Marinha tem 52 anos, é casado, e tem uma larga experiência em missões internacionais, escreve ainda o jornal.

ZAP // Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.