A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, voltou a defender esta terça-feira, na abertura da 68.ª Assembleia Geral da ONU, uma solução “negociada” para a Síria, afirmando que não há “saída militar” para o conflito.

“É preciso calar a voz das armas – convencionais ou químicas, do governo ou dos rebeldes. Não há saída militar. A única solução é negociação, o diálogo, o entendimento”, afirmou Dilma Rousseff.

A presidente brasileira manifestou ainda seu apoio ao acordo negociado entre os Estados Unidos e a Rússia para a eliminação das armas químicas na síria e exortou o governo do Presidente sírio Bashar Al-Assad a “cumpri-lo integralmente, de boa-fé e com ânimo cooperativo”.

Dilma Rousseff destacou, no entanto, que o país repudia intervenções realizadas sem a autorização do Conselho de Segurança, lembrando que a história do século XX mostrou que o “abandono do multilateralismo é o prelúdio de guerras”.

Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui