Um cientista israelita descobriu que os buracos negros podem não ser totalmente escuros, o que contradiz a ideia de que nada pode escapar desses objetos celestes – reforçando a teoria proposta pelo físico britânico Stephen Hawking há mais de 40 anos.

Vários astrónomos acreditavam que os buracos negros teriam uma força gravitacional tão forte, quenem mesmo a luz poderia escapar depois de passar o horizonte de eventos – também conhecido como ponto de não-retorno.

Em 1974, Hawking contrariou essa teoria e defendeu que, devido aos efeitos quânticos, os buracos negros não são completamente negros e emitem um tipo de radiação.

Segundo o cientista, a “radiação Hawking” permite aos buracos negros perder mais matéria do que a que ganham, o que faz com que evaporem, encolham e finalmente desapareçam.

No entanto, a quantidade de radiação produzida será tão baixa que, provavelmente, nunca poderá ser observada nos buracos negros reais.

Depois de sete anos de estudo, o físico Jeff Steinhauer, investigador do Instituto Tecnológico de Israel,criou um buraco negro artificial que parece confirmar a existência da “radiação Hawking”.

Para testar a previsão de Hawking, Steinhauer trabalhou com um tipo diferente de buracos negros, feitos de som.

O professor arrefeceu gás hélio a uma temperatura perto do zero absoluto e, em seguida, agitou-o tão rapidamente que se formou uma “barreira” que impede a passagem do som – algo análogo a um buraco negro.

(dr) Nitzan Zohar / Technion University

O professor Steinhauer com a sua máquina que simula um buraco negro

O professor Steinhauer com a sua máquina que simula um buraco negro

Na sua experiência, o investigador descobriu indícios que os fonões, os menores pacotes de energia sonora, estavam a escapar do seu buraco negro sónico exatamente da mesma forma que as equações de Hawking previam a libertação da radiação de Hawking.

O controverso estudo de Steinhauer foi publicado a semana passada na revista Nature Physics, e passará agora pelo processo de revisão pelos pares.

Caso os resultados sejam validados, Steinheimer terá provado que a “radiação Hawking” existe – e que os buracos negros são afinal quase pretos.

BZR, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.