Uma rapariga paquistanesa de 16 anos morreu depois de os pais lhe terem lançado ácido sobre o corpo, numa cidade na província de Caxemira. A jovem foi atacada porque simplesmente, tinha estado a conversar com um rapaz.

Quando foi hospitalizada, os pais contaram que jovem se tinha tentado suicidar, contou à agência Reuters Mohammad Jahangir, médico de um hospital local. Depois foram detidos pela polícia e acabaram por confessar que tinham sido eles a agredir a filha depois de a terem visto a falar com um rapaz à porta de casa.

“Tinha queimaduras de terceiro grau no couro cabeludo, na cara, nos olhos, nas narinas, nos dois braços, no peito, nos pés e nas pernas. Até o crânio estava exposto”, disse o mesmo médico.

Quase mil mulheres morreram no país no último ano vítimas dos chamados “crimes de honra”, de acordo com a Comissão de Direitos Humanos do Paquistão. Mas segundo activistas de direitos humanos, os números são muito mais elevados porque existem casos que não chegam a ser denunciados.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui