Dezenas de pessoas desfilaram entre as Ruínas de São Paulo e o Largo do Senado, em Macau, na “parada cultural” da China e dos países de língua portuguesa que animou o final da tarde no centro histórico da cidade.

Além da música e das caras pintadas, das andas e das guitarras de Goa, o percurso entre as Ruínas de São Paulo e o Largo do Senado foi preenchido com muita dança dos países africanos e com os tambores do grupo de capoeira do Brasil, composto essencialmente por residentes em Macau dos vários países de língua portuguesa.

Ao longo de cerca de 500 metros, a animação no centro da cidade ganhou nova vida e o turismo encontrou novos pontos de interesse para uma fotografia pouco comum, num percurso habitualmente lotado de visitantes da China que procuram produtos ‘made in Macau’ para mostrar no continente chinês.

No final do percurso, já em pleno Leal Senado e com grande parte dos músicos, como os portugueses da Kumpania Algazarra, que participam na Festa da Lusofonia que está a decorrer nas casas Museu da ilha da Taipa, a animação continuou com ou sem instrumentos, mas numa mescla cultural lusófona do Brasil a Timor-Leste, passando por Portugal, Africa e Macau.

Lusa/Foto:CARMO CORREIA/Lusa

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui