Paulo Gonçalves abriu com uma brilhante vitória a campanha para revalidar o título de campeão mundial de Todo-Terreno. Aconteceu no “Desert Challenge”, onde o português aplicou a estocada decisiva na derradeira etapa.

O “Abu Dhabi Desert Challenge” terminou na passada quinta-feira, após cinco etapas em que o deserto constituiu “prato de substância” para os concorrentes. Nas motos e quads partiram 54 pilotos, com duas equipas fortemente empenhadas na prova e próprio Campeonato do Mundo. Assim, a Honda alinhou a equipa oficial, este ano constituída por Paulo Gonçalves, Hélder Rodrigues e Joan Barreda, enquanto a KTM tinha quatro motos oficiais entregues a Marc Coma, Jordi Viladoms, Sam Sunderland e Jakub Przygonski.

Depois de uma super-especial em que as diferenças foram mínimas entre os homens da frente, a primeira etapa foi azarada para Hélder Rodrigues, devido a problemas eléctricos que ditaram 1h37m de atraso para o vencedor do dia. Hélder ficava assim situado no 23.º posto – na prática, arredado da discussão da vitória.

Paulo Gonçalves esteve diariamente entre os três mais rápidos, e após três etapas era precisamente 3.º classificado, a menos de um minuto de Sunderland e Coma. A quarta tirada foi importante, porque Sam Sunderland partiu o braço oscilante da moto e ficou arredado do confronto. Marc Coma ficava então no comando, com 1m31s sobre Gonçalves, diferença que poderia ser menor sem uma queda do lusitano nas dunas, já perto do fim.

E chegou então o último dia, para mais uma batalha entre os pilotos que o ano passado discutiram o título mundial. Paulo Gonçalves lançou o ataque decisivo, e ao melhor ritmo foi 1m51s mais rápido que Coma, conseguindo assim vencer o Rali por uma margem de 20 segundos! Assim, Gonçalves conseguiu finalmente subir ao degrau mais alto do pódio no “Desert Challenge”, após ter sido 2.º classificado na edição do ano passado e 3.º em 2011.

O piloto de Esposende abre de forma auspiciosa a nova temporada, com o objectivo de revalidar o título. “Depois de ter vencido o Campeonato de 2013 era importante iniciar bem esta época de 2014”, declarou Gonçalves. “Foi uma excelente conquista aqui alcançada pelo Team HRC contra grandes pilotos, valorizo muito esta vitória, mas temos de continuar a trabalhar. O Campeonato é longo, à semelhança do ano passado os adversários têm um nível elevadíssimo, mas estamos confiantes”.

Quanto a Hélder Rodrigues, depois do azar já descrito, rodou em bom nível. Sexto mais rápido na segunda etapa, quinto nas duas seguintes e quarto na derradeira, ainda conseguiu acabar a prova no 7.º lugar, pelo que mantém todas as aspirações para esta campanha mundialista, como ele próprio referia “Sem poder lutar por um lugar na frente da prova, depois do que me aconteceu na primeira etapa, o meu objetivo pessoal é terminar na melhor posição possível, tendo em vista a pontuação no Campeonato do Mundo”.

O Campeonato do Mundo de Ralis TT prossegue ainda este mês, de 20 a 25 de Abril, com o Sealine Rally, no Qatar.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.