foto: Paulo Novais / Lusa //

Pedro Dias, suspeito dos homicídios de Aguiar da Beira, na Guarda, foi condenado em vários processos, em tribunal, por crimes menores, mas nunca pagou as multas ou indemnizações devidas, alegando que “não tinha emprego, bens ou conta bancária”.

Tiroteio em Aguiar da Beira

O Correio da Manhã teve acesso a vários processos envolvendo Pedro Dias e constata que ele “conseguiu durante anos enganar a justiça”.

De acordo com o jornal, Pedro Dias foi condenado em diversos processos-crime e cíveis, por pequenos crimes, mas “nunca pagou as multas ou as indemnizações a que foi condenado”, alegando que “não tinha bens, emprego, nem conta bancária”.

O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira dizia ser um “indigente”, escreve o CM.

Pedro Dias está em prisão preventiva desde que se entregou às autoridades, e é suspeito de ter morto duas pessoas, uma das quais um militar da GNR de 29 anos, tendo ainda ferido outras três.

Conhecido como “Piloto”, por ter uma licença de pilotagem de aviões, Pedro Dias vivia com os pais, em Arouca, distrito de Aveiro, onde tinha uma empresa em nome individual que se dedicava à produção de animais.

No âmbito desta actividade profissional, o suspeito já tinha revelado ter problemas com a justiça que lhe apreendeu vários animais de espécies protegidas e autóctones, “entre os quais um primata que está agora no Jardim Zoológico da Maia” e “52 aves protegidas pelo Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção”, conforme reporta o Observador.

ZAP //

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.