foto: António Cotrim / Lusa

Esta manhã, no Parlamento, o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, disse que o Estado e a TAP irão assegurar uma solução para a Groundforce, mesmo que falhe o processo de venda das ações da empresa a cargo do Montepio.

Apesar de rejeitar a nacionalização da empresa, o ministro não explicou qual a solução que está a ser pensada para resolver o impasse acionista. “A solução está a ser trabalhada e vai ser discutida amanhã com os sindicatos representativos da Groundforce, não vai ser discutida em público”, disse apenas, citado pelo Expresso.

“A nacionalização não era e continua a não ser hoje uma boa opção“, sublinhou Pedro Nuno Santos, acrescentando que o Governo sempre rejeitou essa hipótese.

“Não era a melhor opção porque não queremos ficar sujeitos a litigância e correr o risco de ter de pagar uma indemnização a quem não a merece”, referindo-se a Alfredo Casimiro.

Além disso, explicou, “o processo de nacionalização é muito mais complexo do que parece ser e é demorado”, havendo ainda a situação de a TAP não poder manter-se como acionista maioritário da Groundforce.

“Estamos a acompanhar e temos a expectativa de que o processo de venda seja concluído com sucesso, isso significaria a entrada de um sócio com capacidade financeira para podermos iniciar uma nova vida de estabilidade na Groundforce”, disse. Se esta hipótese não se concretizar, “o Estado ou a TAP encontrarão uma solução”.

ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui