foto: Expresso

Como já se esperava, o Porto não foi a cidade escolhida para receber a Agência Europeia do Medicamento, não terá sido surpresa para ninguém sabe-se agora que o próprio Presidente da República não acreditava nessa candidatura, por isso, torna-se difícil perceber o porquê da atual decisão do primeiro-ministro em querer recompensar o Porto com a transferência do Infarmed para lá.

António Costa acaba por, ao querer contentar Rui Moreira, dar provas de uma enorme imprudência com esta decisão de transferência do Infarmed. Imprudência porque e ao que parece, esta mudança não se enquadra na lei, imprudência porque não houve o cuidado de avisar os cerca de 400 trabalhadores que iriam ser deslocados para 300 km de distância e ainda, imprudência porque não há uma explicação plausível para que esta deslocação, com todos os custos que isso suporta, aconteça.

Não há dúvida que a descentralização é necessária, levar alguns organismos para outras cidades e, não apenas para o Porto, ajuda ao seu desenvolvimento e combate a desertificação, mas são decisões que não podem acontecer para agradar aos caprichos dos autarcas, neste caso do Porto.

António Costa, terá agora mais um embrulhada para resolver, conseguir consonâncias em relação a este tema vai se difícil e os efeitos desta péssima ideia, terão possivelmente, consequências desastrosas para o Governo, que mais não tem feito ultimamente do que dar tiros nos pés.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.