O semanário alemão Focus noticiou hoje terem sido encontrados, num apartamento em Munique (sul), perto de 1.500 quadros de mestres, como Picasso, Matisse e Chagall, confiscados pelos nazis a colecionadores judeus ou vendidos por judeus perseguidos.

O ministério público de Augsburgo (sul), responsável por este caso, de acordo com a agência noticiosa alemã DPA, não quis comentar a informação divulgada pelo Focus.

O jornal acrescentou que os quadros, de grandes mestres do século XX, incluindo os alemães Emil Nolde, Franz Marc, Max Beckman e Max Liebermann, foram avaliados em cerca de mil milhões de euros.

As telas foram encontradas num apartamento de um octogenário, cujo pai comprou estes quadros nas décadas de 1930 e 1940, disse.

Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.