A proibição da pesca de sardinha até ao final do ano abrange cerca de 300 pescadores só em Matosinhos.

 

Os pescadores do porto de pesca de Matosinhos apelaram ao Governo que encontre uma resposta urgente para os inúmeros “problemas” que a recente interdição de pesca da sardinha lhes vai colocar, reconhecendo que a situação poderá tornar-se “calamitosa” para o setor. Em causa está uma portaria que determina ser “proibida a captura de sardinha (…), bem como a manutenção a bordo, transbordo e descarga desta espécie”, desde o dia 20 de setembro e até “às 24 horas do dia 31 de dezembro”, por ter sido atingido o limite máximo de captura da espécie, em Portugal e Espanha.

De acordo com João Almeida, coordenador do Sindicato dos Trabalhadores da Pesca do Norte (que esteve ontem reunido com alguns pescadores), já foi pedida uma reunião urgente com a ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas. O responsável lamentou que os pescadores não tenham sido ouvidos antes de ser tomada a decisão. João Almeida referiu ainda que se “ouve falar” da existência de fundos europeus para apoiar os pescadores enquanto estão parados. No entanto, acrescentou, a comissária europeia para os Assuntos do Mar e Pescas, Maria Damanaki, “já veio dizer que a Comissão Europeia não tem qualquer tipo de conhecimento de que Portugal queira aceder a este fundo”. A interdição abrange cerca de 300 pescadores só em Matosinhos, que ficam sem qualquer tipo de rendimento.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.