foto: (CC0/PD) Skitterphoto / pixabay

Preços dos combustíveis no país são dos mais elevados da Europa, e as famílias portuguesas têm dos rendimentos mais baixos. Já há sítios com o litro acima dos 2 euros.

A subida a pique nos preços dos combustíveis tem deixado as famílias portuguesas com dificuldades para fazer face a aumentos que, em muitas bombas de gasolina, já põem o litro de gasolina ou gasóleo muito perto dos 2 euros.

Segundo o Dinheiro Vivo, Portugal tem a 8ª gasolina mais cara da União Europeia (UE), estando o gasóleo na última posição do top 10, segundo os últimos dados da Comissão Europeia, citados na análise da BA&N.

A comparação mostra que há até já locais, como os Países Baixos e a Suécia, onde o litro de gasolina e de gasóleo ficam acima da fasquia de 2 euros.

O problema português, porém, vai além do preço. Os rendimentos das famílias estão entre os mais baixos da Europa.

Os portugueses ficam assim duplamente penalizados, com menos dinheiro no bolso do que a maioria e a pagar preços que estão ao nível dos países mais ricos.

“Uma família de três (dois adultos trabalhadores com um menor a cargo) arrecada, em média, 12 696 euros anualmente, em termos líquidos, segundo os dados mais recentes da Comissão Europeia”, indica o relatório.

“Assumindo que esta família atesta o depósito do automóvel (de 50 litros) uma vez por mês, o valor gasto nos postos de abastecimento ao longo de um ano corresponde a 8,3% do rendimento, caso o veículo seja a gasolina, e a 7,6% no caso mais provável de ser a gasóleo”, acrescenta o documento.

Esta percentagem do rendimento gasta em combustível é “bastante superior à registada na maioria dos países da União Europeia”.

Pior só mesmo em países como a Grécia, Croácia, Hungria e Bulgária, ou “no caso mais extremo, na Roménia”.

A Bulgária é o país europeu em que os combustíveis são mais baratos, revela o estudo, a indicar que um litro de gasolina ou de gasóleo custa pouco mais de 1,20 euros — ainda que pese num rendimento que ronda os 6 mil euros anuais.

Apesar de estar também a ser afetada pela escalada de preços, Espanha consegue ainda manter o litro da gasolina nos 1,538 euros médios e o diesel nos 1,422 euros, que se traduzem em poupanças superiores a 10 euros por depósito de 50 litros relativamente ao que pagam os portugueses.

Comparação que se distancia mais se pesarmos preços e rendimentos. Os espanhóis ganham em média 43% mais do que as famílias portuguesas e pagam 12% menos nos combustíveis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui