Espanha e Itália vão definir mais logo qual o adversário na final de hoje, na qual Portugal vai procurar o quarto título consecutivo.

Portugal sofreu, mas apurou-se para a final da 66.ª edição da Taça das Nações de hóquei em patins após bater Angola, por 3-2, em Montreux, Suíça.

Com duas ‘caras’, os lusos penaram na primeira parte, a qual terminaram em desvantagem, após golo de João Vieira (07), num lance individual em que passou em frente à baliza e atirou com sucesso, perante a passividade da defesa.

Depois da derrota com a Espanha (1-0), a falta de ritmo, de pontaria e de criatividade preocupavam Luís Sénica, mas o selecionador serenou com o empate em forte remate de longe de Hélder Nunes (24), que três minutos depois falhou um penalti, atirando contra o guarda-redes.

Frente a uma equipa com vários atletas portugueses, com dupla nacionalidade, e mais experientes no bilhete de identidade, os lusos consumaram a reviravolta logo no minuto seguinte (28), em livre direto no qual Rafa fez várias simulações e enganou o guarda-redes (2-1).

O melhor período foi selado com o terceiro, com João Rodrigues (29), em frente à baliza, a agradecer mais uma vez trabalho individual de Gonçalo Alves (3-1).

A 17 segundos do fim, João Vieira reduziu para 3-2, mas já era tarde para mudar a história do jogo.

Espanha e Itália vão definir mais logo qual o adversário na final de domingo, na qual Portugal vai procurar o quarto título consecutivo.

Sendo um dos mais prestigiados torneios da modalidade, atualmente a Taça das Nações disputa-se de dois em dois anos, tendo a particularidade de juntar clubes e seleções na mesma competição.

Agência Lusa
COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.