Depois do sucesso do vídeo feito por um programa de humor holandês para conquistar o novo Presidente dos Estados Unidos, o talk-show português “5 Para a Meia-Noite” também fez uma versão para Portugal.

 Nos últimos dias, o vídeo elaborado pelo programa “Zondag Met Lubach”, do canal holandês VPRO, tornou-se viral nas redes sociais e correu o mundo.

No sketch humorístico, os holandeses apelavam a Donald Trump que o seu país devia vir em segundo lugar (já que os Estados Unidos vêm em primeiro) e mostraram uma série de coisas que assim o justificava.

Pois bem, os portugueses não quiseram perder tempo e já fizeram a sua própria versão. Esta quinta-feira, durante o talk-show “5 Para a Meia-Noite”, apresentado por Filomena Cautela, um vídeo mostrou porque é que os portugueses merecem o segundo lugar no pódio das potências mundiais.

O discurso, com uma voz semelhante à do Presidente americano, começa por explicar que Portugal é uma das nações mais antigas do mundo e que o nosso primeiro rei expulsou os árabes, algo que de certeza agrada a Trump.

A partir daí, há pano para mangas para mostrar os nossos pontos fortes como, por exemplo, o facto de termos sido campeões da Europa em futebol, o privilégio de termos tido um hóspede na Casa Branca (Bo, o cão de água português de Obama), de termos uma palavra que não pode ser traduzida (“saudade”), do nosso país ser governado por uma “geringonça” e até se apela ao facto de termos José Sócrates, alguém que pode ajudar a construir o muro na fronteira com o México porque se diz “engenheiro”.

O vídeo acaba com um recado ao Presidente: “Que se lixem os holandeses! São mais laranjas do que você. Portugal em segundo”.

Além de Portugal, outros países como a Suíça, Bélgica, Alemanha, Dinamarca e Lituânia também já entraram na brincadeira. Os vídeos podem ser vistos na página da Internet “Who Wants To Be Second” (“Quem quer ser segundo” em tradução para português).

ZAP //

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.