foto : (CC0/PD) ThePixelman / pixabay

O resultado de uma sondagem recente revela que a maioria dos portugueses prefere ter a mesma hora durante o ano inteiro, um resultado que vai ao encontro dos resultados do inquérito da Comissão Europeia.

O resultado de um estudo de opinião, publicado pelo Correio da Manhã e realizado pela Aximage, revela que 60,7% dos 601 inquiridos preferem manter a mesma horadurante o ano inteiro – dados que vão no mesmo sentido dos resultados da consulta pública da Comissão Europeia.

Assim, de acordo com o resultado da sondagem, apenas cerca de um terço dos portugueses está a favor de manter os horários de verão e de inverno. A Área Metropolitana do Porto (68,4%) e o Litoral Norte (68%) são as regiões com uma maior percentagem contra a mudança de hora. Já na região Sul e nas ilhas, só 50,3% é contra.

O diário revela ainda que, no meio rural, 40,1% quer manter a situação atual, face aos 56,5% que querem acabar com a mudança da hora. No meio urbano, 59,7% é a favor da hora única.

Além disso, o inquérito mostra ainda que há mais homens do que mulheres a optar pela situação atual, 38,6% contra 27,7%. Apesar de António Costa ter afirmado que irá manter o regime atual, a decisão é europeia. Até abril de 2019, a Comissão Europeia e Parlamento Europeu decidirão, e cabe ao Conselho Europeu homologar a decisão.

No inquérito europeu, que abrangeu 4,6 milhões de pessoas, 84% responderam que preferem manter a mesma hora.

O assunto tem sido muito polémico nos últimos tempos, principalmente entre a comunidade científica, que alerta para as desvantagens de manter o mesmo horáriotodo o ano.

O Observatório Astronómico de Lisboa, por exemplo, frisou os riscos para a saúde desta decisão, nomeadamente para as crianças, que passariam a entrar na escola ainda de noite, destaca o Diário de Notícias.

ZAP //

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.