O Presidente sul-africano apelou, ao discursar no Parlamento, ao fim da violência xenófoba no país. “Condenamos a violência nos termos mais fortes e apelamos à calma e ao fim da violência”, disse o Chefe de Estado.

Jacob Zuma qualificou “chocantes e inaceitáveis” os ataques xenófobos que causaram pelo menos seis mortos em Durban, e que se estenderam até Joanesburgo. “Nenhum nível de frustração ou de fúria pode justificar esses ataques contra estrangeiros e a pilhagem dos seus bens”, insistiu. “Estes ataques violam todos os valores que incarnam a África do Sul, que são todos contra as intolerâncias, racismo, xenofobia, homofobia, sexismo”, sublinhou.

Milhares de pessoas manifestaram-se na quinta-feira, em Durban, contra a xenofobia após vários dias de violência, durante os quais as lojas de Joanesburgo de estrangeiros foram pilhadas. Os ataques contra os estrangeiros, principalmente do Malawi, Zimbabwe, Moçambique, Somália, Etiópia e da República Democrática do Congo (RDC), seguiram-se a declarações do rei Goodwil Zwelithini, do Kwazulu Natal, que pediu aos estrangeiros que regressem aos seus países. O influente chefe tradicional renegou posteriormente estas declarações, afirmando que foram “mal traduzidas”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui