O proprietário do cargueiro italiano envolvido num acidente no porto de Génova, que causou a morte a nove pessoas na sexta-feira, responsabilizou os dois barcos que o estavam a rebocar pelo desastre, por não terem evitado o choque.

“Mesmo que o motor do navio estivesse bloqueado, não podemos aceitar que dois rebocadores, em condições marítimas ideais, não pudessem conter um navio de porte médio”, considerou, em comunicado, a empresa Ignazio Messina & Co.

O navio Jolly Nero estava a fazer uma manobra de rotina, de marcha à ré, fora do porto, na terça-feira, quando falhou a inversão do motor e entrou na doca, derrubando uma torre de controlo, com 50 metros de altura.

O proprietário da embarcação disse que “navios muito maiores fazem o mesmo movimento neste grande espaço de água”.

LUSA
COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.