foto: António Cotrim / Lusa

A PSP deteve, durante o passado fim de semana, 16 pessoas e multou 406 por incumprimento do dever geral de recolhimento, num total de 621 operações de fiscalização.

Dos detidos, “dez foram por desobediência ao dever geral de recolhimento – portanto, pessoas que se encontravam na via pública sem uma justificação prevista na lei e que se recusaram terminantemente a voltar à sua residência quando lhes foi indicado por parte dos nossos polícias. Foram, portanto, detidas por desobediência”, explica o intendente Nuno Carocha, em declarações à Renascença.

O porta-voz da PSP considera que, de uma maneira geral, os portugueses cumpriram as regras impostas pelo Governo, que estarão em vigor até, pelo menos, às 23h59 do dia 30 de janeiro.

Ainda assim, foram detidas “cinco pessoas por incumprimento da proibição de venda e consumo de bebidas alcoólicas na via pública e ainda uma pessoa que se encontrava infetada com covid-19 e que tinha instruções das autoridades de saúde para se manter no domicílio”.

“Foi encontrada na via pública e automaticamente detida”, explicou Nuno Carocha.

A recusa em cumprir as limitações de circulação na via pública e a falta de máscara foram as principais razões para as 406 coimas aplicadas durante o fim de semana pela PSP.

“Dessas 406 contraordenações, destacam-se 97 por falta de uso de máscara, 70 por incumprimento do dever geral de recolhimento, 49 por incumprimento das regras de distanciamento físico e 37 por consumo de bebidas alcoólicas na via pública”, refere o intendente.

“São tudo contraordenações punidas com coima, agora durante o estado de emergência, de 200 euros no mínimo e que têm de ser pagas, no contexto do novo regime legal que entrou em vigor neste fim-de-semana, de imediato”, sublinha ainda Nuno Carocha.

Quanto à GNR, passou 186 contraordenações e deteve um cidadão por incumprimento do dever de recolher obrigatório, razão pela qual foram multadas 83 pessoas. Houve ainda 42 pessoas multadas por passagem indevida entre concelhos, noticia a Renascença.

ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui