Foto:  cfccreates / Flickr  //

O célebre compositor e produtor discográfico, responsável pelos maiores sucessos de Michael Jackson, acusou o rei da Pop de ter plagiado várias das suas canções, entre as quais a famosa “Billie Jean”. Sobre os Beatles, o produtor norte-americano referiu que “eram os piores músicos do mundo”.

 “Não gosto de o dizer publicamente, mas Michael roubou muita coisa, roubou muitas canções”, declarou o produtor Quincy Jones, de 84 anos, que participou na criação dos lendários álbuns “Thriller” e “Bad”.

“Era tão maquiavélico como é possível ser-se”, acrescentou, numa entrevista concedida ao site Vulture, apontando o dedo às semelhanças entre “Billie Jean” e a canção “State of Independence”, da rainha da Disco Donna Summer, igualmente produzida por Quincy Jones e lançada alguns meses antes.

Semelhanças entre as duas canções não são evidentes, a não ser pelo facto de ambas assentarem em linhas de baixo executadas em sintetizador.

Quincy Jones acusou ainda Michael Jackson, que morreu em 2009, de ser “mesquinho”, por se ter recusado a creditar o teclista Greg Phillinganes na sua canção “Don’t Stop ‘Til You Get Enough”.

Além disso, o produtor lembrou os Beatles como “os piores músicos do mundo”, quando os ouviu pela primeira vez, sublinhando que Paul McCartney era o pior baixista que alguma vez tinha ouvido.

“E nem me falem do Ringo Starr”, diz Jones, mencionando um episódio que testemunhou em estúdio, em que o baterista demorou cerca de três horas para gravar uma sequência rítmica.

Em relação aos U2, o jornalista da Vulture perguntou diretamente ao produtor se a banda “ainda faz boa música”, questão à qual o produtor norte-americano respondeu acenando negativamente com a cabeça. “Adoro o Bono, com todo o meu coração, mas há demasiada pressão sobre a banda“.

Questionado, ainda, sobre o racismo nos Estados Unidos, o músico referiu que a culpa é de Donald Trump e dos “campónios analfabetos”. “Trump diz-lhes apenas o que eles querem ouvir. É um doido filho da mãe. Limitado em termos intelectuais – um narcisista com a mania das grandezas”.

Quincy Jones adiantou ainda que namorou com Ivanka Trump, filha do presidente dos EUA, há doze anos atrás. “Tinha as melhores pernas que vi na vida, mas o pai errado”.

Aos 84 anos, Jones mantém-se em atividade no mundo da música e lançou recentemente um serviço de vídeo streaming especializado em Jazz.

Noutra entrevista recente que deu à revista GQ, o produtor também causou polémica, ao afirmar que tem 22 companheiras em todo o mundo, fala 26 línguas e fez um tratamento na Suécia que lhe permitirá viver até aos 110 anos.

ZAP // Lusa

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.