O piloto finlandês Jari-Matti Latvala levou o seu Volkswagen Polo R WRC ao lugar mais alto do pódio, quebrando um jejum de vitórias que durava desde de Outubro 2014

Eis que após 1529 km, dos quais mais de 354 km competitivos, distribuídos por 16 provas de classificação, chega ao fim o Vodafone Rally de Portugal 2015, com a vitória a sorrir a Latvala que quebrou assim a hegemonia de Sébastien Ogier, vencedor das duas últimas edições do Rally de Portugal, reentrando na corrida pela luta do título mundial, cumpridas que estão cinco provas do Campeonato do Mundo de Ralis.

Com os holofotes apontados desde o início para si, Ogier nunca esteve na liderança deste rally. Ao terceiro dia de prova, Ogier lançou um ataque feroz a Latvala, forçando o andamento e chegando mesmo a andar nos limites do carro mas não foi suficiente, apenas conseguiu reduzir a diferença para Latvala, que mostrou muita serenidade quando posto à prova, gerindo de forma imaculada a pressão do seu colega de equipa e a liderança, sempre sem cometer erros técnicos. Valeu a Sébastien Ogier a vitória na Power Stage, gastou menos 2,2s do que Latvala, o que lhe permitiu a conquista de três pontos extra.

Os Volkswagen continuam a dominar o Mundial de Ralis, garantindo no final os três mais altos lugares do pódio, com Sébastien Ogier e Andreas Mikkelsen a ficarem em segundo e terceiro lugar respectivamente.

Nasser Al-Attiyah triunfa no WRC2 APSS10_47

No campeonato WRC2, Nasser Al-Attiyah abordo de um Ford Fiesta RRC foi o mais forte e obteve o segundo triunfo da temporada. Desde o início do rally que Al-Attiyah manteve um andamento muito forte e constante, o que acabou por lhe valer um justo triunfo numa categoria que cada vez mais é muito disputada.

Miguel Campos o melhor piloto português

Entre os pilotos lusos, o melhor foi o experiente Miguel Campos no seu Ford Fiesta R5. Focado apenas em competir neste Rally de Portugal, Campos andou sempre mais rápido que os seus mais diretos adversários, liderando a prova desde o início, apenas com um percalço aquando da passagem por Viana do Castelo, mas que acabou por recuperar e terminar em primeiro lugar entre os portugueses. Nota para o descontentamento generalizado entre todos os pilotos nacionais para o facto de saírem para a estrada sempre em último lugar, apanhando os pisos dos troços já bastante deteriorados e já sem a multidão que brindava os WRC.

Pese embora este Rally não contasse para o Campeonato Nacional de Ralis, os pilotos pedem que seja revisto este critério até porque os muitos milhares de aficionados que marcaram presença ao longo dos quatro dias de rally, também desejavam ver os pilotos portugueses mais cedo e entre os WRC.

O Campeonato de Mundo de Ralis segue agora para Itália, onde o actual detentor do título, Ogier, tentará voltar às vitórias depois de duas provas consecutivas sem vencer.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.