Este tipo de seguros começou a ser transacionado há uma semana, revelou a imprensa estatal.

A Comissão Reguladora de Seguros na China ordenou às companhias do país que deixem de oferecer apólices “anti-smog” através das quais os turistas podem ser indemnizados se o local que visitam estiver contaminado.

De acordo com o “China Daily”, em língua inglesa e que no início da semana revelou a existência daquele tipo de apólices, a comissão estatal entrou em contacto com as principais seguradoras do país determinando a suspensão da oferta de tais seguros, poucos dias depois das companhias os terem lançado no mercado.

O regulador não terá explicado as causas da proibição, ainda que peritos do setor tenham comentado esta semana que as compensações do novo produto eram demasiado altas face ao preço da apólice e que condicionar um seguro ao clima é uma “lotaria”.

Com um pagamento entre 10 e 15 yuan diários (1,3 a 1,8 euros) os turistas poderiam receber uma indemnização de cerca de 50 yuan (6,2 euros) por cada dia em que a poluição impedisse as férias.

O fim dos seguros “anti-smog” surge quando os céus altamente poluídos e a escassa visibilidade em Pequim, capital chinesa, registam um índice de poluição de 400, numa escala em que o máximo é 500 pontos.

Acima dos 300 pontos considera-se que a poluição é grave e as pessoas são aconselhadas a evitar saídas para o exterior.

Agência Lusa
COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.