Foto: Juan Carlos / Facebook  //

Foi revelada a identidade do auxiliar médico que, entre baixas e férias, só trabalhou 18 meses em 15 anos. Chama-se Juan Carlos, tem 60 anos e fez culturismo.

 Na semana passada, a imprensa espanhola contou a história de um auxiliar médico de um hospital psiquiátrico de Alicante, em Espanha, que acumulou 4.453 dias de baixa entre 2001 e 2016, tendo estado ausente do trabalho 12 anos e dois meses, de um total de 15 anos.

O Conselho Provincial de Alicante não considera o funcionário apto para executar as suas funções. No entanto, a Segurança Social negou-lhe a incapacidade laboral permanente por três vezes.

A situação estranha mas legal do auxiliar médico espanhol despertou interesse, contudo a sua identidade permanecia por descobrir. Esta segunda-feira, o El Mundo revelou que o indivíduo em questão se chama Juan Carlos e tem 60 anos.

Segundo alguns amigos e conhecidos, o espanhol foi viciado em exercício físico durante muitos anos. Apaixonado, particularmente, pelo culturismo, “podia ter sido porteiro de uma discoteca”, diz um dos conhecidos.

 Juan Carlos perdeu a forma ao longo dos anos e foi o vício em anabolizantes que lhe provocou a maior parte dos problemas de saúde que originaram as suas baixas consecutivas. O auxiliar de enfermagem sofre de uma doença que é confidencial e protegida pela Lei de Proteção de Dados espanhola.

Os esteroides anabolizantes são substâncias sintéticas similares à testosterona que promovem um aumento de massa muscular.

Depois de a sua história ter ficado conhecida através dos meios de comunicação social, Juan Carlos desapareceu.

O jornal espanhol conta que na sua última declaração pública sobre o assunto, ao jornal espanhol Información, explicou os 12 anos de ausência laboral como um conjunto “de muitas pequenas coisas que no final se juntam e me impedem de trabalhar”.

ZAP //

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui