A Rússia decidiu abandonar o Tribunal Penal Internacional por considerar que o organismo não se conseguiu tornar uma entidade “independente e prestigiada”.

Num decreto assinado pelo Presidente Vladimir Putin, a Rússia oficializou esta quarta-feira a decisão de renunciar ao Tribunal Penal Internacional (TPI).

O Estatuto de Roma, que entrou em vigor em 2002, é a base da atividade do tribunal sediado em Haia que julga crimes graves e de guerra.

A Rússia assinou este tratado em 2000 mas recusa agora manter a sua ratificação. Putin ordenou ao Ministério das Relações Exteriores que encaminhe essa decisão ao secretário-geral da ONU.

O país decidiu abandonar este organismo por considerar que “não se conseguiu tornar uma entidade independente e prestigiada” e não conseguiu também “justificar as esperanças” nele depositadas.

No mês passado, a África do Sul também anunciou que vai abandonar o TPI, a par do Burundi. Países como a Namíbia e o Quénia já levantaram a mesma possibilidade.

ZAP / Sputnik News

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui