O lago Poopó, na Bolívia, foi oficialmente declarado como evaporado estando agora reduzido a 2% da sua área anterior. Esta situação representa um grande desastre ambiental para muitas das espécies que ali viviam.

A evaporação do lago, o segundo maior do país e que nos anos 90 chegou a ter uma área superior a mil quilómetros quadrados e uma profundidade situada entre os 1,5 e os quatro metros, levou a que mais de duas centenas espécies animais que habitavam aquele ecossistema tenham desaparecido.

Todo o ecossistema está destruído. As pessoas migraram, os animais fugiram ou morreram e a fauna desapareceu.

O ornitólogo Carlos Caprilles disse ao jornal La Razón que cerca de 200 espécies de aves, peixes, mamíferos e répteis desapareceram o que aumenta o risco de extinção de algumas, nomeadamente três espécies de flamingos.

“Há 40 dias havia água e os flamingos estavam lá”, disse, por seu turno, à Reuters, no passado mês de dezembro, Valerio Calle Rojas, um dos 150 pescadores da comunidade Untavi.

A região do lago, que fica nas montanhas do Altiplano dos Andes bolivianos, no sudoeste do país, a 3821 metros de altitude, foi declarada pelo Governo “zona de desastre” em dezembro.

Neste momento, o antigo lago alberga maioritariamente carcaças de animais e barcos encalhados. Sobram três pequenas áreas húmidas, com menos de um quilómetro quadrado e apenas 30 centímetros de profundidade.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.