Seguro, que, durante a tarde de sexta-feira, já tinha respondido por carta ao convite de Passos Coelho, deixou claro à noite, durante um encontro com militantes do PS em Vila Nova de Gaia, que não está disposto para colaborar.

O Secretário Geral do PS, acusou o Governo de querer destruir o Estado social “que demorou décadas a levantar”, Seguro garantiu que o PS “será intransigente na defesa do Estado social”. “Em nenhuma circunstância o PS será muleta deste Governo e não seremos cúmplices da sua política de empobrecimento”.

Afirmando que o Governo ignorou até agora as propostas dos socialistas, Seguro perguntou à plateia: “Porque só agora o Governo se lembrou do PS. Porque só agora diz que precisa muito do PS. Agora é que pedem ajuda? Ajuda para o quê?”

Seguro não deu resposta, mas lembrou o facto de “um conselheiro de Estado e antigo presidente do PSD [Marque Mendes]” ter vindo a público dizer que a reforma do Estado já estava em andamento, que já estavam em Portugal os membros do FMI e até onde iam ser feitos os cortes. “Isto é sério? Mas em que país é que o primeiro-ministro pensa que está.”

O lider do PS insistiu ainda na ideia de os portugueses fizeram os sacrifícios que lhes foram pedidos”, mas “o Governo falhou em toda a linha”. “Não há um indicador que o Governo possa dizer que resultou”, acrescentou.

 

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui