No próximo mês de setembro, os utentes do Sistema Nacional de Saúde (SNS) diagnosticados com depressão, terão ao seu dispor uma plataforma de apoio que pretende ajudar no combate a esta doença.

Tendo em conta a atual utilização da internet e de smartphones o projeto pensado pela EUTIMIA — representante em Portugal da Aliança Europeia contra a Depressão em Portugal, pretende ser um aliado no tratamento de depressões, através da disponibilização de uma plataforma de autoajuda. Este “tratamento” tem de ser prescrito pelo médico de família, sendo que a sua recomendação abrange doente com depressão leve ou moderada.

A plataforma está organizada em oito módulos distintos, que correspondem a oito semanas e “basicamente responde às necessidades de 90% dos doentes com depressão nos cuidados de saúde primários“, segundo Ricardo Gusmão, dirigente da EUTIMIA.

Ainda segundo o dirigente, este tratamento implica uma interação contante entre paciente e plataforma, assim “As pessoas são chamadas a interagir com o smartphone ou o tablet e, desta forma, registar os resultados que são enviados para a pessoa que está a orientar este processo do tratamento“.

Para pôr em prática este projeto, os médicos vão ser orientados, no sentido de reconhecer quem é que tem indicação para ser recomendado para este tratamento e os enfermeiros e psicólogos vão receber formação para orientarem os pacientes.

Embora o projeto vá para o terreno apenas em janeiro, os testes iniciais já começaram, estando neste momento a ser realizadas algumas melhorias.

O projeto só é possível através de uma verba de 730 mil euros obtida através da Administração Central do Sistema de Saúde, no âmbito do programa EEA Grants.

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.