Foto: ZAP  //

Sporting conquistou a sua primeira Taça da Liga portuguesa. Ao contrário do que sucedeu na primeira edição da prova, os “leões” bateram o V. Setúbal nas grandes penalidades, após um jogo muito difícil perante os sadinos.

 Os homens de José Couceiro foram melhores no primeiro tempo, mas uma segunda parte muito boa dos comandados de Jorge Jesus levou o jogo para a decisão nos penálties. E aí, os de Alvalade não vacilaram.

A Análise do Jogo

  • Entrada de “leão” do…. Vitória de Setúbal. Logo aos quatro minutos, Gonçalo Paciência recebeu a bola de costas para a baliza, à entrada da área, rodou e rematou com sucesso para o 1-0. Ao primeiro remate da partida, primeiro golo.
  • Nos primeiros dez minutos o Vitória registava cerca de 45% de posse de bola, e quase todas as despesas ofensivas – quatro remates, dois enquadrados, dois cantos, contra nenhuma ocorrência de qualquer uma destas situações para o Sporting.
  • Pedro Pinto, aos 22 minutos, esteve muito perto de ampliar para os sadinos, que nesta fase mantinham 49% de posse, muito graças à pressão realizada à saída da grande área leonina. Foi o quinto remate dos homens de Setúbal, contra um dos “leões” nesta fase.
  • Surpresa na primeira parte da final da Taça CTT. Quando se esperava um Sporting autoritário, fruto do seu favoritismo, eis que surgiu um Vitória personalizado, que marcou cedo, por Gonçalo Paciência, e tapou todos os caminhos para a sua baliza. Ao intervalo, os sadinos registavam 51% de posse de bola, cinco remates, dois enquadrados (2-1 para o Sporting), e registava-se empate em pontapés de canto (2-2).
  • Reentrada de “leão”… do Sporting que, com Battaglia e Acuña nos lugares de Bryan Ruiz e Rúben Ribeiro, entrou a pressionar bastante o seu adversário. Porém, aos 50 minutos, Costinha teve o 2-0 nos pés, mas o seu remate no coração da área leonina, sem oposição, saiu ao lado. Na resposta foi Coates, na pequena área, a disparar por cima.
  • À passagem da hora de jogo o Sporting mandava nos acontecimentos, com 55% de posse de bola e já quatro disparos no segundo tempo, dois deles enquadrados, contra apenas dois (um com boa direcção) por parte dos sadinos. O “leão” era o conjunto mais perigoso nesta altura.

Foto: ZAP // José Cruz / Sporting CP

William Carvalho marca o penalty que dá a vitória ao Sporting na final da Taça da Liga 2018

  • Até que aos 75 minutos, num lance incrível, Pedro Trigueira realizou duas defesas “impossíveis” e, quando se julgava que a terceira também havia sido do guardião, a verdade é que o árbitro assinalou braço de Podstawski e respectivo penálti. Bas Dost(80′) empatou a partida.
  • Nesta fase o Sporting dominava intensamente, com 60% de posse e já dez remates, seis deles enquadrados. Trigueira começava a destacar-se como a grande figura da partida.
  • E mais uma vez a decisão foi para as grandes penalidades. E aqui, Podstawski voltou a ser infeliz e falhou o seu pontapé e William Carvalho decidiu a favor do “leão”, que venceu assim a sua primeira Taça da Liga portuguesa.

Resumo

// GoalPoint

COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.