A Procuradoria-Geral sul-africana assumiu hoje não ter a certeza que os produtos encontrados na residência do atleta Oscar Pistorius, acusado de ter assassinado a namorada, sejam testosterona, um produto interdito aos desportistas.

“Não podemos dizer o que é. Não podemos confirmar nem negar antes da análise científica”, reconheceu o porta-voz da Procuradoria-Geral, Medupe Simasiku.

Horas antes, Hilton Botha, o detetive que chegou ao local logo após Reeva Steenkamp ter sido declarada morta pelos paramédicos, na madrugada de 14 de fevereiro, e que chefia a equipa de investigação, disse que tinham sido encontradas duas caixas de testosterona e seringas no quarto de Pistorius.

O advogado do atleta, Barry Roux, argumentou que as caixas continham uma erva medicinal e não testosterona, que pertence à lista de substâncias banidas pelo Comité Olímpico Internacional (COI).

NOTICIA AGÊNCIA LUSA
COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.