O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) voltou a rejeitar o pedido de libertação imediata de Vale e Azevedo, presidente do Benfica de 1997 a 2000, apresentado por um grupo de cidadãos.

Em acórdão a que a agência Lusa teve acesso, datado de quinta-feira, o STJ recusou que Vale e Azevedo, extraditado para Portugal a 12 de novembro de 2012, esteja em prisão ilegal, contrariando José António Muacho, Ana Elisabete Lopes e Deolinda Branco da Silva.

Os cidadãos recorreram para o STJ com o fundamento de que Vale e Azevedo cumpriu já quinto sextos da pena de 11 anos e meio fixada em cúmulo jurídico pela 4.ª Vara Criminal de Lisboa, no âmbito dos processos Ovchinnikov/Euroárea (seis anos de prisão em cúmulo), Dantas da Cunha (sete anos e meio) e Ribafria (cinco anos).

Argumentou ainda o grupo de cidadão que “os direitos humanos de Vale e Azevedo estão a ser violados”, uma vez que ainda aguarda a liberdade condicional, sublinhando que o antigo presidente “está a ser vítima de um tratamento muito desigual em comparação com outros casos de Justiça”.

NOTICIA AGÊNCIA LUSA
FOTO:MARIO CRUZ/LUSA 2012
COMPARTILHAR

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.