foto: Fernando Veludo / Lusa

Vai ser mais difícil para as pessoas acima dos 60 anos saber com antecedência qual será a vacina que vão receber (AstraZeneca, Pfizer e Moderna). Todas as semanas, as três vacinas passam a “rodar de região em região”.

task force responsável pela vacinação alterou as regras de distribuição de vacinas para tornar mais difícil para as pessoas acima dos 60 anos saber com antecedência qual será a vacina que vão receber: AstraZeneca, Pfizer ou Moderna.

O coordenador da task force, o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, explicou ao jornal Público que há agora “um macro plano de rodagem por regiões”, o que significa que, semana a semana, as três vacinas passam a “rodar de região em região”.

Esta estratégia “visa sobretudo prevenir que, se por acaso, estas tiverem diferentes respostas às novas variantes, não haja nenhuma zona que não tenha proteção seletiva, porque pode haver uma variante que reage pior à vacina A ou B”.

“O objetivo é garantir que a população, no seu conjunto, tenha uma resiliência maior porque há uma diversidade de vacinas nas várias regiões”, acrescentou.

Os profissionais de saúde só vão saber a ordem da distribuição com dois dias de antecedência, o que torna mais difícil perceber qual vai ser a vacina dada em cada região.

O diário avança que há pessoas que, tendo conhecimento antecipado das datas em que as vacinas estão a ser dadas em determinada região e sabendo que se trata da AstraZeneca, para não terem que ir para a fase final da operação por se terem recusado a recebê-la, alegam que não conseguem ir no dia proposto e ficam à espera de serem contactados noutra altura de maneira a serem imunizados com uma das duas outras vacinas.

Esta nova estratégia dificulta este tipo de “truques”.

A mudança de estratégia acontece depois de, na semana passada, a AstraZeneca ter passado a ser dada apenas a maiores de 60 anos, na sequência da comunicação da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) que admitiu a “possível ligação” entre esta vacina e casos muito raros de tromboembolismo.

Recuperados vão começar a ser vacinados já na 2.ª fase

Os recuperados da covid-19 vão ser incluídos no plano de vacinação já a partir da 2.ª fase, ou seja, neste mês de abril, avança o Diário de Notícias.

“Trata-se de um reforço de proteção para quem já recuperou de covid, o que é possível por termos passado de uma fase de escassez de vacinas para uma fase atual de maior ofertaTrata-se apenas de uma dose. Ao que tudo indica, é preciso apenas um reforço de imunidade para quem já tem algum nível de imunização conferido pela doença”, explicou o coordenador da task force.

Nesta fase, a medida incluia cerca de 300 mil pessoas com mais de 60 anos que já foram infetadas. Falta, contudo, a publicação de uma norma pela Direção Geral da Saúde (DGS).

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui