Cinco dos terroristas envolvidos nos recentes ataques em França e na Bélgica receberam cerca de 50 mil euros em subsídios da Segurança Social, de acordo com a investigação belga.

O Wall Street Journal salienta que o Estado belga acabou por ajudar, sem querer, a financiar os terroristas que mataram quase 200 pessoas, em atentados terroristas em Paris e em Bruxelas.

Cinco dos elementos envolvidos nestes ataques terão recebido subsídios da Segurança Social belga num total de 50 mil euros. Os pagamentos terão sido feitos até cerca de três semanas antes de os atentados terem sido cometidos.

O jornal refere o caso concreto de Salah Abdeslam, envolvido no ataque em Paris, que fez mais de 150 vítimas, nomeadamente na sala de espectáculos Bataclan, considerando que ele nem sequer tinha direito a qualquer apoio social porque tinha um emprego como gerente de um bar, em Bruxelas, do qual terá até sido co-proprietário.

“A assistência social deu-lhes os meios de sobrevivência, o que se tornou um meio de apoio indirecto a actividades terroristas“, considera o director do Departamento da Inteligência Financeira, Philippe de Koster, citado pelo Wall Street Journal.

Os terroristas citados nesta investigação estiveram envolvidos nos ataques em Paris, a 13 de Novembro de 2015, onde morreram mais de 150 pessoas, e nos atentados em Bruxelas, a 22 de Março deste ano, que causaram 32 mortes.

ZAP

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor introduza o seu nome aqui